1325- Turíbio Santos relança quatro álbuns de sua carreira pela gravadora e produtora Kuarup

#MáscaraSalva #DistanciamentoSocial #EviteMuvuca

#MúsicaInstrumentalBrasileira #ViolãoBrasileiro #TuribioSantos #CulturaPopular

#Respeito #Tolerância #Diversidade #Pluralidade #Gratidão #Liberdade #LiberdadeDeCulto #Fé #Democracia #ImprensaLivre #JornalistasAntiFascistas

#ForaFrias #ForaSalles #ForaDamares #ForaBolsonaro

#VivaBenedita #VivaMarinaSilva #VivaPretaGil #NegroÉLindo

Álbuns Violão Amigo, Mistura Brasileira, Interpreta Agustin Barrios e O Guarani em parceria com  Leandro Carvalho estão disponíveis nas plataformas digitais

Está disponível nas plataformas digitais quatro álbuns do músico e violonista maranhense  de São Luís Turíbio Santos. As obras reeditadas pela gravadora e produtora Kuarup foram lançadas a partir de 1999. Os relançamentos começam com O Guarani, álbum em parceria com o maestro Leandro Carvalho. O compositor Carlos Gomes recolheu temas de Quilombolas nas proximidades de Campinas e os harmonizou para o piano, que foram mais tarde gravados pelo pianista Fernando Lopes. Turíbio Santos achou que dois violões poderiam trazer um clima mais africano e com a ajuda do compositor Sergio Barboza e a parceria do regente paulista gravaram quatro temas do Quilombo e aproveitaram o embalo fazendo igualmente uma transcrição da Protofonia da majestosa obra do Guarani. Dentro desse mesmo espírito Henrique Alves de Mesquita e Ernesto Nazareth vieram ajudar os músicos com belas obras como Batuque, O Batuque, Floraux,Tenebroso, Odeon, Escovado, Brejeiro e Apanhei-Te Cavaquinho. Chiquinha Gonzaga fecha este trabalho com arranjos da autoria de Turíbio para violão solo das peças Corta Jaca, Atraente e O Abre Alas. O violão é sempre surpreendente por ter acompanhado discretamente a história da música e nos ter revelado enormes tesouros, comenta Turíbio. O violonista revela que seu parceiro Leandro Carvalho dividiu com ele nesta gravação as alegrias das descobertas de Carlos Gomes.

Continuar lendo

1274 – Com Bruno Sanches e seu belo disco Do Barroco às Barrancas do Rio, abrimos os trabalhos em 2020

Solista inventivo, cantor e arranjador, violeiro recentemente vencedor do Prêmio Mimo é considerado pelo professor e pesquisador Ivan Vilela, seu mestre na USP, um músico completo, “aquele que pensa, toca, cria e recria”, elevando a viola um universo sonoro cada vez mais amplo. 

O Barulho d’água Música retoma os trabalhos após a passagem das festas do final de 2019 e nesta primeira atualização de 2020 apresenta aos amigos e seguidores o premiado violeiro paulista Bruno Sanches, nascido em Regente Feijó, “Cidade Pérola da Alta Sorocabana”, situada na região de Presidente Prudente, a cerca de 550 quilômetros a Oeste da Capital do Estado, a cidade de São Paulo. Compositor, cantor, pesquisador e arranjador que se dedica à música desde os 12 anos de idade, Sanches foi destaque em outubro de 2019 e em agosto de 2018 dos programas Sr.Brasil e Revoredo, na TV Cultura e na Rádio USP FM (de São Paulo e de Ribeirão Preto), respectivamente convidado por Rolando Boldrin e pelo maestro José Gustavo Julião de Camargo, e, em ambas as ocasiões, falou sobre a carreira, os projetos e o álbum Do Barroco às Barrancas do Rio. Com 11 faixas instrumentais que mesclam composições próprias com obras de Gaspar Sanz, J.S. Bach, Carreirinho, Dorival Caymmi, Paulo Cesar Pinheiro e Guinga e Augustin Barrios, o disco tem direção artística do professor, pesquisador e compositor violeiro Ivan Vilela, do qual Sanches foi aluno na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP).

Continuar lendo