1328- Clube da Esquina ao cair da tarde: Márcio Hallack lança Desse Modo, pela produtora e gravadora Kuarup

#MPB #MúsicaInstrumental #MúsicaIndependente #ClubeDaEsquina

Sexto disco do pianista traz canções inéditas e versões de músicas de Lô Borges e Milton Nascimento

Já está disponível nas plataformas digitais Desse Modo, novo trabalho da carreira do arranjador e pianista mineiro de Juiz de Fora Márcio Hallack, lançado pela produtora e gravadora Kuarup. Agora com seis álbuns em sua trajetória e já premiado em duas edições do BDMG Instrumental, além da indicação ao Prêmio Tim de 2003, o compositor assina os arranjos e presta homenagem a importantes nomes da nossa MPB, aqui numa versão estritamente instrumental.

O disco traz na formação um trio que reúne Márcio Hallack, ao piano, Enéas Xavier (baixo acústico) e Esdras Ferreira “Neném” (bateria), apresentando convidados em algumas faixas. Dos compositores mineiros, Hallack escolheu Tudo Que Você Podia Ser, de Lô e Márcio Borges, imortalizada por Milton Nascimento no disco Clube da Esquina, de 1972.

Continuar lendo

1159 – Conheça Adiel Luna (PE), coquista autor de “Baionada” e “Onde as violas se encontram”

Repertório dos dois álbuns do músico residente  em Recife resgatam ritmos que animam cantigas de trabalho e festas dedicadas ao baião, ao improviso,  à pisada de coco e à  cantoria de viola no sertão, além de rimas de cordel e o repente

As tradicionais audições na redação do Barulho d’água Música nas manhãs de sábado começaram neste dia 23 de fevereiro, a uma semana do Carnaval, com o álbum Baionada (2015), do pernambucano Adiel Luna, autor, ainda, de Onde as violas se encontram, gravado com o pai, o premiado Coco Camará, também tocado aqui no cafofo. Em sua página eletrônica, na guia de apresentação, consta que a relação de Luna com a música vem de berço: a bisavó era cantadeira de casa de farinha e conheceu o marido animando uma farinhada. O avô, por sua vez, foi entusiasta da cantoria de viola, enquanto o pai – assim como alguns tios e primos – é poeta e repentista.

Continuar lendo

Dia Nacional do Choro, em homenagem a Pixinguinha, completa 15 anos

A0715p09

Pixinguinha, compositor e arranjador, flautista e saxofonista, deixou obras primas do choro como Carinhoso, 1×0 e Lamento

 

Hoje, 23 de abril, comemora-se o 15º ano da introdução no Brasil do Dia Nacional do Choro, data escolhida em 2.000 por ser o dia de nascimento de Alfredo da Rocha Vianna Filho, que ficou conhecido por Pixinguinha (Rio de Janeiro, 1897, Rio de Janeiro, 1973), flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro, criador entre outros do célebre Carinhoso.

Continuar lendo