1510 – Conheça e baixe o álbum Canção Atual, de André Luís (SE), ligado à terra e à gente que dela vive

#MPB #música #musicaautoral #poesia #violãobrasileiro #musicabrasileira #cantoria #cantautor #cantante #compositor #artebrasileira #culturapopular #agroecologia #agrofloresta #somosnaturaleza #igualdade #igualdad #espiritualidade #andreluiscanta #cancaoatual #PedraBranca #PocinhosdoRioVerde #JacintaPassos

Primeiro disco do cantor e compositor sergipano que atualmente reside aos pés da Serra da Mantiqueira traz, ainda, um tributo à memória de Jacinta Passos, jornalista e poetisa baiana que mesmo trancada em manicômios jamais deixou de erguer sua voz e de lutar por causas libertárias

 

(…) o meu canto é flecha/a viola, canoa/ponteando navego/versos e orações/que conspiram o sonho/um só povo/ um só chão/esperança que eu vivo pra cantar”

Voz da Mata, de André Luís e Felipe Bedetti

O cantor e compositor André Luís, sergipano de Aracaju, radicado em Pocinhos do Rio Verde, no Sul de Minas Gerais, lançou, em fevereiro de 2021, Canção Atual, o primeiro álbum da carreira. Distribuído pelo selo Tratore, o disco está disponível nas plataformas digitais depois de ser gravado, mixado e masterizado no Estúdio Bordão da Mata (Bordão da Mata/MG), com 10 faixas, e pode ser baixado do blogue Terra Brasilis 2, cujo linque estará ao final desta atualização. A direção e o design sonoro de Canção Atual são de Poli Brandani e do próprio André Luís, que gravou voz e violão ao lado de Alê Vilhena (voz), Rodrigo Sestrem (voz, flauta e rabeca) e Carlinhos Ferreira (percussão, flautas de PVC, rabeca de lata). Entre os parceiros, André Luís contou com Fernando Guimarães e João Bá, Daniela Lasalvia, Levi Ramiro, Ferreira e Sestrem. Os arranjos de base são de André Luís, exceto na faixa Cantiga de Amor Peregrino (de Fernando Guimarães) e Bendita Caminhada (de Levi Ramiro). A arte da capa é assinada por Mariana Brandani. 

Continuar lendo

1477- Concha Acústica do Taquaral, em Campinas (SP), recebe música caipira no dia 27 de novembro

#MPB #MúsicaCaipira #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #Campinas #ConchaAcústicaTaquaral #ProjetoOficinasdeMúsica Caipira #ProgramaRevoredo #USPFM

Apresentação do Projeto Oficinas de Música Caipira terá participação especial de João Paulo Amaral Trio

 Os alunos do projeto Oficinas de Música Caipira, realizado na Escola Estadual Francisco Barreto Leme, situada no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas (SP), realizarão apresentação gratuita na Concha Acústica do Taquaral neste sábado, 27 de novembro, a partir das 17 horas. O público poderá ouvir clássicos como O Menino da Porteira, Chico Mineiro, Romaria, e conhecer também o trabalho do João Paulo Amaral Trio. João Paulo Amaral é professor de viola caipira e coordenador artístico do projeto Oficinas de Música Caipira. Neste concerto levará ao palco algumas músicas do seu álbum mais recente, Aço da Terra, gravado com seu trio formado por Alberto Luccas (baixo acústico) e Cleber Almeida (bateria), além de receber outros convidados. O músico natural de Mogi das Cruzes (SP) está completando 20 anos de carreira dedicados à viola caipira (viola de 10 cordas) e possui experiência nacional e em palcos de Portugal, Espanha, México, Inglaterra e Estados Unidos. É pesquisador e compositor que se destaca por propor novos caminhos musicais para esse instrumento centenário. Pós-graduado em Música pela Universidade de Campinas, defendeu o primeiro mestrado sobre a viola caipira do país, com pesquisa sobre o violeiro Tião Carreiro.

Continuar lendo

1223 -Ivan Vilela faz concertos em Guarulhos e em São Paulo após lançar álbum com Benjamim Taubkin

Violeiro, um dos mais conceituados do país, tocará no Sesc de Guarulhos e no Instituto Tomie Othake

Professor, pesquisador, compositor e um dos mais destacados violeiros do país, Ivan Vilela, será atração o neste sábado, 24, da unidade Guarulhos do Sesc paulista, onde se apresentará a partir das 18h30, acompanhado por Filipe Massumi, ao violoncelo, e por Ari Colares, à percussão. A distribuição do começará a partir das 17h30, no Centro de Música, para o concerto que deverá ocupar o Auditório (sala 4) e durante o qual o público ouvirá composições e arranjos que se utilizam de elementos das culturas populares brasileiras, mesclando-as com sonoridades das músicas clássica e e popular. Vilela transitará por diferentes paisagens sonoras, explorando texturas e contrapontos, mesclando sutilezas melódicas, nas quais o tonal e o polimodal se fundem num misto de cruzamentos rítmicos.

Além de músicas consagradas dos vários álbuns – como Paisagens, A Força do Boi e Solidão -, destacam-se no programa obras como Sertão e Castelo dos Mouros,  do álbum Encontro, gravado por Vilela em parceria com o pianista Benjamim Taubkin e lançado no começo de agosto, na unidade 24 de maio do Sesc paulistano.

Continuar lendo

1149 – Yamandu Costa e Thadeu Romano aliviam saudades do mestre Dominguinhos em show único no Sesc Pinheiros (SP)*

Repertório  vai passear por músicas dos discos que o violonista gaúcho gravou com o sanfoneiro de Pernambuco, mesclado a sucessos de Tom Jobim, Sivuca, Abel Ferreira, Chico Buarque, Luiz Gonzaga…
*Com Lu Lopes (Rubra Rosa Projetos Culturais)

Yamandu Costa e Thadeu Romano vão apresentar Salve Dominguinhos, trazendo de volta aos palcos composições de Yamandu + Dominguinhos e Lado B (discos que ambos gravaram juntos, em 2007 e em 2010) com uma única apresentação marcada para a noite de sexta-feira, 1º de fevereiro, na unidade Pinheiros do Sesc da cidade de São Paulo (ver guia Serviços). Em 2018 completamos cinco anos sem o sanfoneiro pernambucano que nos deixou em 23/7/2013. Mais do que as saudades, ele nos deixou um legado imenso de obras para música. Seu Domingos, apesar de ter partido aos 72 anos, encantou jovens músicos de várias gerações e, por essa razão, sempre viveu cercado pela novidade da juventude.

Continuar lendo

970 – Patrícia Lopes leva ao Jazz B show inspirado em poemas de amor e dedicados ao universo feminino, de Fernando Pessoa

A pianista e compositora Patrícia Lopes protagoniza O Feminino em Pessoa, espetáculo que aborda a paixão amorosa por meio de músicas inspiradas em poemas do consagrado português Fernando Pessoa que poderá ser apreciado em 11 de julho, a partir das 21 horas, no palco do Jazz B, em São Paulo. Sem contar os próprios textos de um dos mais admirados poetas de todos os tempos, o autor que viveu entre 1888 e 1935 destaca-se na literatura universal pela construção de heterônimos aos quais deu vida tal qual o trio Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis, dotados de personalidades e estilos distintos. A síntese da obra do lisboeta e deste conjunto de notáveis múltiplos dele é qualificada por rara sensibilidade e faz soarem vozes e modos diversos de percepção do mundo que trazem à tona o que pode haver de mais recôndito na alma humana — sentimentos, desejos, emoções e temas entre os quais o amor e as peculiaridades femininas são dos mais recorrentes. No show, Patrícia Lopes também mostrará composições inéditas, feitas especialmente para esta apresentação e contará com as participações da portuguesa Sofia Vitória (que vem ao Brasil para breve temporada, recitando poemas), de Ana Luiza (vocais), de Paula Pires (clarinete) e de Sebastian Ruiz (viola de arco).

Continuar lendo

680 – Colabore com o projeto de Déa Trancoso (MG) para lançamento de Líricas Breves para a Construção de uma Alma

vinde a mim, ó flor da noite!
reluza flor da noite. exale a fragrância inodora. cesse os sentidos e transcenda a alma em silêncio absoluto. reluza ó flor da noite. entoe o canto que nenhum ouvido ouve. transforme as dez mil reuniões em silêncio oco, em cabeça oca, em oco desconhecido. reluza flor da noite. reluza e lave os meus olhos no rastro potente de tua luz. reluza minha escuridão! refaça-me em luz e flor, ó flor da noite. vinde a mim. atraia-me. reintegre-me. seja eu. Déa Trancoso

Nova Imagem

Foto: Lori Figueiró

Está em andamento campanha de financiamento coletivo para arrecadação de contribuições de amigos e admiradores ao projeto Líricas Breves para a Construção de uma Alma, estreia editorial da cantora Déa Trancoso (Almenara/MG) por meio da qual a autora aborda caminhos e descaminhos, sonhos e realidades, buscas incessantes e mergulhos profundos em si mesma discorrendo sobre temas que ainda são tabus sociais e pessoais (como a morte, por exemplo), os quais marcam a trajetória de um ser humano que pretende construir uma alma enquanto está encarnado. As colaborações à obra dão direito a recompensas, estão sendo recolhidas pela Agência de Comunicação e Produtora Cultural Variável 5 (V5) e partem de R$ 10,00.

(Uma sugestão apresentada por um amigo de Déa Trancoso é comprar o livro de presente antecipado de Natal para repassá-lo para quem se quer bem: a recompensa que dará direito ao exemplar, autografado, é de 50,00, valor que já inclui a despesa com frete, para todo o Brasil, além de uma carta de agradecimento, escrita à mão).

Continuar lendo

626 – Liverpool e a roça se encontram em álbum instrumental de Neymar Harrison Dias e Igor Lennon Pimenta, da Borandá

neymar e igor - Copia

“Para mim este disco já nasce clássico e somos todos privilegiados em poder escutá-lo”.

Impossível discordar de André Mehmari, que nas palavras acima refere-se a Come Together Project, trabalho de Neymar Dias em parceria com Igor Pimenta — lançamento recente do selo Borandá, o mesmo pelo qual Neymar e Toninho Ferraguti assinaram Festa na Roça, um dos finalistas (vai vendo!) do Grammy Latino. Amigos há mais d quinze anos, um dos quais tem um pé fincado no meio caipira, e o outro é jazzista de primeira ordem, juntos ambos traçaram uma ponte imaginária entre São José do Rio Preto e Liverpool, com escala na Índia. Nesta viagem, em 13 elaboradíssimas faixas, revisitaram o universo melódico dos The Beatles, produzindo o trabalho que encantou o pianista. 

Continuar lendo