André Salomão planeja Planos e Muros pronto em abril e disponibiliza faixa Coração Bobo para amigos e fãs

salomão andré
André Salomão, mineiro de Araguari, vai lançar o primeiro álbum com participação do amigo e conterrâneo Luiz Salgado (Foto: Marcelino Lima)

 

O cantor e compositor André Salomão, de Araguari (MG), está finalizando a produção do primeiro álbum, que se chamará Planos e Muros, com perspectiva de lança-lo já em abril. Para antecipar a divulgação do trabalho, a partir de 2 de março, André Salomão disponibilizará aos amigos e aos admiradores a música Coração Bobo, por meio de um single. Interessados devem digitar  ‪#‎querocoraçãobobo, informando o WhatsApp inbox por meio do endereço virtual facebook.com/andresalomaooficial. A faixa chegará “na faixa”, a partir das 17 horas.   

10995855_852145918179464_6325084750528063778_nPlanos e Muros terá a participação do conterrâneo cantor e compositor Luiz Salgado, que reside na mesma cidade e gravou com o autor Vida Rica Simples. Esta canção, por sinal, André Salomão apresentou no dia 7 de fevereiro,no teatro do Sesi de Uberaba, onde ocorreu o show de encerramento do I Encontro Dandô Circuito de Música Dércio Marques, projeto idealizado pela cantora  compositora Katya Teixeira (SP), contemplado em dezembro de 2014 com o Prêmio Brasil Criativo, e do qual ele é um dos protagonistas nas Alterosas ao lado do próprio Salgado, Lilian Fulô, Marcelo Taynará, Erick Castanho, Nádia Campos e Cacá Sankari.

 

 

10959677_796722087088654_8392746338257052110_n

Milongador, de Giancarlo Borba, enfatiza a vida do gaucho a pé e a luta pela terra, com poesia e sem panfletarismo

giancarlo 2

O acervo do Barulho d’água Música fica cada vez mais rico e já conta com um exemplar do álbum Milongador, do cantor e compositor Giancarlo Borba, residente em Terra da Areia (RS). O disco foi entregue ao blog pelo próprio Giancarlo Borba em Uberaba (MG), onde ocorreu no dia 7 de fevereiro o show de encerramento do I Encontro Nacional do Dandô Circuito de Música Dércio Marques. Além de Giancarlo e do conterrâneo Valdir Verona, ao palco do Sesi daquela cidade subiram Cáca Sankari, Erick Castanho, André Salomão, Marcelo Taynará, Nádia Campos, Lilian Fulô, Luiz Salgado (MG); Katya Teixeira e João Arruda (SP); Paulo Matricó (PE); Rosa Bastos (GO) e Oswaldo Rios (PR).O show teve ainda participação de Toninho Salgado, filho de Lilian e Luiz Salgado.

Continue Lendo “Milongador, de Giancarlo Borba, enfatiza a vida do gaucho a pé e a luta pela terra, com poesia e sem panfletarismo”

Catorze músicos sobem ao palco do teatro do Sesi para encerramento do I Encontro Nacional do Dandô, em Uberaba (MG)

dandô
Os músicos do Dandô no palco do Sesi Uberaba (MG), da direita para a esquerda: Cacá Sankari, Rosa Barros, Paulo Matricó, Oswaldo Rios, João Arruda, Valdir Verona, Giancarlo Borba, Katya Teixeira, Erick Castanho, André Salomão, Marcelo Taynara, Nádia Campos e Lilian Fulô (Fotos: Marcelino Lima/Barulho d’água Música)

Depois de quatro dias reunidos na Casa do Folclore, em Uberaba (MG), onde promoveram com apoio de vários colaboradores o I Encontro Nacional Dandô Circuito de Música Dércio Marques, 14 músicos dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás, e Pernambuco ocuparam na noite de sábado, 7, o palco do teatro do Sesi para realização de um show coletivo.

Continue Lendo “Catorze músicos sobem ao palco do teatro do Sesi para encerramento do I Encontro Nacional do Dandô, em Uberaba (MG)”

Barulho d’água Música acompanha show de vários expoentes do Dandô Circuito de Música Dércio Marques, em Uberaba (MG)

beraba1jc9

O Barulho d’água Música está de mala pronta e dentro em pouco embarcará para Uberaba (MG). Na terra natal de Dércio Marques, o blog vi acompanhar amanhã, 7, a partir das 20 horas, o show que marcará o encerramento do I Encontro Nacional Dandô Circuito de Música Dércio Marques, marcado para o Teatro do Sesi. Estaremos de volta a partir de segunda-feira, 9, com fotos e informações da cantoria que terá por anfitrião o anfitrião Gilberto Rezende e contará com a idealizadora do projeto Katya Teixeira e João Arruda (SP); Paulo Matricó (PE); Valdir Verona, Giancarlo Borba (RS); Oswaldo Rios e Viola Quebrada (PR); Fernando Guimarães, Letícia Bertelli, Nádia Campos, Erick Castanho, Lilian Fulô, André Salomão, Marcelo Tayanará e Cacá Samkari (MG). O Teatro fica na Praça Frei Eugênio 231, bairro São Benedito, em Uberaba (MG).

Ao idealizar em 2013 o Dandô – Circuito de Música Dércio Marques, Katya Teixeira pensava em fomentar a circulação de música de qualidade inquestionável por todo o país, reunindo artistas de várias regiões para criar um intercâmbio e gerar novas plateias. Quem já se apresentou possui trabalhos reconhecidos, mas poderia ter uma melhor projeção no panorama nacional e proporcionar às pessoas o acesso à música de qualidade produzida fora da “grande mídia”.

Um artista saindo de cada cidade e passando por todos os pontos do circuito em uma caravana contínua. Cada edição conta sempre com um artista do local recebendo e abrindo o espetáculo para o convidado, em shows de aproximadamente noventa minutos. Ao final, um bate-papo entre artistas e plateia fecha a apresentação.

O Dandô já circulou por várias cidades paulistas, de Minas Gerais, de Pernambuco, do Paraná, de Goiás, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. 

O objetivo de Katya Teixeira é, ainda, levar a todo o Brasil o nome de Dércio Marques e seu inestimável legado não apenas para a música, mas para toda a cultura popular brasileira.

Dércio Marques morreu em julho de 2012, em Salvador, deixando como maior legado uma grande escola que transcende a composição musical e poética e propõe, ainda, uma postura mais íntegra e solidária de viver, voltada tanto para a preservação da natureza, quanto para o aprimoramento espiritual de cada individuo, sem deixar de lado o engajamento político e social.

Katya é um dos seguidores mais brilhantes e discípulo do ideário do mineiro que viveram bem próximos dele, a exemplo de João Arruda, Déa Trancoso, Levi Ramiro, João Bá, Carol Ladeira, Wilson Dias e tantos outros artistas que com suas obras vêm contribuindo para ajudar a pegar flor e dar frutos os sonhos do mestre.  

O Prêmio Brasil Criativo destacou o Dandô em Artes de Espetáculo/Música  em 3 de dezembro de 2014 no Auditório Ibirapuera (SP). Promovido pelo Ministério da Cultura, pelo Projeto Hub e pela 3M, contemplou 22 projetos  perante um público de mais de 800 pessoas. A estatueta é o reconhecimento oficial da proposta de Katya Teixeira, que com apoio da jornalista Mercedes Cumaru, fiel escudeira da cantora, literalmente, ganhou estrada e passou a ser apresentada em várias localidades nacionais.

10955790_787168394671717_3996580489676711073_n

“Arreuni” de julho: energia, luz e diversão ao som de violas, chocalhos e tambores

Amigos e seguidores:

Republicamos em homenagem as cantoras e amigas Katya Teixeira e Carol Ladeira, que hoje fazem aniversário e se apresentaram juntas naquele mês, a matéria sobre o especialíssimo Arreuní de junho deste ano, que teve ainda as participações de Luiz Salgado e Lilian Fulô, todos acolhidos pelo anfitrião João Arruda. Parabéns a ambas e um abraço a todos!

Barulho d'Água Música

Nova Imagem10 O ensaio do “Arreuni” já foi uma mostra da qualidade do espetáculo que o público veria nesta edição que teve congada, batuques de terreiro, reizado e modinhas populares (Fotos Marcelino Lima)

Nova Imagem7 Lilian Fulô

O Centro Cultural Casarão do Barão, em determinado momento, já se aproximando o final da edição do projeto “Arreuni” promovida no domingo, 6 de julho, ficou quase às escuras. Ouviu-se dois ou três estrondos, mas as cinco estrelas que estavam no palco seguiram pulsando cantoria e  batucada, agora em pé, colocando o salão quase em transe, a plateia marcando o ritmo de um sagrado terreiro nas palmas da mão. A energia elétrica não chegou a faltar, mas se o apagão momentâneo atingisse toda a gigante Campinas, daquele canto do bairro Barão Geraldo a luz que emanava seria mais do que suficiente para ninguém, em imóvel algum,  ter de ficar à mercê de velas, lanternas ou lamparinas para prosseguir com suas atividades.

SONY DSC João Arruda e Carol Ladeira

Já  durante os ensaios…

Ver o post original 378 mais palavras

“Arreuni” de julho: energia, luz e diversão ao som de violas, chocalos e tambores

Nova Imagem10
O ensaio do “Arreuni” já foi uma mostra da qualidade do espetáculo que o público veria nesta edição que teve congada, batuques de terreiro, reizado e modinhas populares (Fotos Marcelino Lima)
Nova Imagem7
Lilian Fulô

O Centro Cultural Casarão do Barão, em determinado momento, já se aproximando o final da edição do projeto “Arreuni” promovida no domingo, 6 de julho, ficou quase às escuras. Ouviu-se dois ou três estrondos, mas as cinco estrelas que estavam no palco seguiram pulsando cantoria e  batucada, agora em pé, colocando o salão quase em transe, a plateia marcando o ritmo de um sagrado terreiro nas palmas da mão. A energia elétrica não chegou a faltar, mas se o apagão momentâneo atingisse toda a gigante Campinas, daquele canto do bairro Barão Geraldo a luz que emanava seria mais do que suficiente para ninguém, em imóvel algum,  ter de ficar à mercê de velas, lanternas ou lamparinas para prosseguir com suas atividades.

SONY DSC
João Arruda e Carol Ladeira

Já  durante os ensaios, o versátil e irrequieto promotor João Arruda e os convidados Katya Teixeira, o casal Luiz Salgado e Lilian Fulô e a convidada Carol Ladeira deram mostras de que o encontro seria dos mais marcantes, memorável para quem acompanhasse, mais tarde, a apresentação. Alegria, descontração, bom humor e muita afinidade seguiram em alta na hora do show e serviram de apoio para o rico e poético repertório ser desfiado ao som de viola caipira, violões, rabeca,  instrumentos trazidos da França por Arruda (uma vielle a roue, batizada de mourinha, que soa à manivela, mais um kaiomb, chocalho das Ilhas Reunião), guizos que reproduzem inclusive o correr de uma cascata e os tambores manejados por Lilian Fulô.

Entre as músicas, Katya e Luiz Salgado escalaram do recente álbum lançado por ambos, o 2 Mares, “Tema Incidental Duas Ventarolas”,  “São Gonçalinho”, “São Gonçalo do Brasil”, e “Deusa da Lua”. Katya ainda prestou homenagem à Cesária Évora com “Sodade”, Violeta Parra, com “La Jardinera”, e fez lembrar a rainha Inezita Barroso com “Marcolino”, cuja letra também tem a chama de Pena Branca. Salgado reverenciou Dércio Marques com “Leilão de Jardim”, um poema de Cecilia Meirelles, e entre um causo e outro, além de troca de anedotas com Arruda, cantou com devoção “Décima de Reis”, folia de reis que faz referência ao poder atribuído à cor de cada uma das fitas que enfeitam o cabo de sua requintada viola.

Katya Teixeira

 

Sempre com o acompanhamento de Lilian Fulô na percussão, João Arruda também entrou na roda e soltou a voz. Em duo com Katya e Salgado apresentou “Pega pega”, de Paulo Gomes, mais faixas do recente álbum Venta Moinho. Carol Ladeira completou a festa trazendo logo de saída “Deus me proteja”, de Chico César. Outro Chico, o Saraiva, é autor com Makely Ká de “Do meio do mundo”, que interpretou acompanhada pelas cordas de Arruda. Todos juntos, antes da despedida, entoaram músicas de ponto reverenciando Ogum e congadas.

Nova Imagem6
Luiz Salgado

O “Arreuni” tem apoio do Governo do Estado, por meio do PROAC, vinculado à Secretaria Estadual de Cultura, entidades, empresas e órgãos municipais de Campinas. Em 10 de agosto, João Arruda receberá os violeiros de Minas Gerais Wilson Dias e Pereira da Viola.