Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!


Deixe um comentário

999 – Paraná guarda com carinho e saudade a obra de Romano Nunes, o Cabelo, desde menino exímio violonista

“O violão de Cabelo vale por uma orquestra inteira. Só assim para dar noção do talento desse músico paranaense. Mas, mesmo prevenido, você ainda pode sofrer de queixo caído quando ouvir a mágica” Beto Feitosa**, crítico musical fluminense

O Paraná despediu-se em 27 de fevereiro de 2015 de João Batista Nunes, um dos mais talentosos e virtuosos multi-instrumentista do Estado. Cabelo, como ficou conhecido pelos admiradores de todo o país, também utilizava o nome artístico Romano Nunes, sofria de trombose e morreu na véspera, em Curitiba, em consequência do entupimento de uma das vias do coração por um coágulo, após sofrer uma queda. O corpo do músico que estava com 65 anos encontra-se sepultado em Jacarezinho– cidade para a qual a família se mudou em 1951 (oriunda da terra natal, Carlópolis) formada pelos pais, Juvêncio Antônio e Rosa, e mais quatro filhos — um deles a menina Maria Margarida, com a qual, aos 7 anos, João Batista já cantava no programa A Bola da Semana, produzido em Jacarezinho. Aos 17 anos, levando entre os itens da bagagem a primeira guitarra elétrica, Cabelo trocou o Interior pela Capital, onde apesar da natureza humilde e tímida amadureceu profissionalmente, desenvolvendo a maior parte da carreira de violonista, de violeiro, de cavaquinista e de guitarrista, além de compositor, diretor musical e arranjador.

Continuar lendo

Anúncios


Deixe um comentário

635 – Recomendação do Barulho d’água: Comum de Dois, de Toninho Ferraguti e Marco Pereira, da Borandá

marco  toninho

O violão e o acordeon, dois instrumentos dos mais populares do Brasil, ao longo da história musical foram marcantes na formação de gêneros e de estilos, e ainda hoje continuam presentes de Norte a Sul do país. Marco Pereira e Toninho Ferragutti, dois dos principais representantes desses instrumentos, uniram se e provaram que, em dueto, o pinho e o fole permitem uma rica experiência artística. O resultado do encontro pode ser curtido em Comum de Dois, álbum com nove faixas lançado com o selo da gravadora Borandá. 

Continuar lendo


Deixe um comentário

Pepeu Gomes volta às origens e faz show de graça no Sesc Consolação para lançar novo álbum instrumental

pepeu

Foto: Alex Regis

O guitarrista baiano Pepeu Gomes abrirá no próximo dia 3 a programação do mês de agosto do projeto Instrumental Sesc Brasil, coordenado por Patrícia Palumbo e que toda segunda-feira oferece uma nova atração no palco do teatro Anchieta, do Sesc Consolação (São Paulo), com entrada franca. Celebrizado com o mítico grupo Novos Baianos, Pepeu Gomes estreou em carreira solo com um disco instrumental, e no decorrer dos anos acabou optando por priorizar registros voltados à canção, produzindo sucessos já clássicos da música brasileira. O álbum Alto da Silveira é um retorno, após um hiato de 26 anos, à música instrumental, no qual explora todo o seu potencial como instrumentista e deixa explicito suas influências, que passam dos samba ao rock, do choro aos ritmos latinos, e de muitos outros timbres e harmonias.

A entrada deve ser retirada na Central de Atendimento, a partir das 18 horas, e somente no dia do show. O Sesc Consolação fica na ruavenida Doutor  Vila Nova, 245, na Vila Buarque,  em São Paulo.

Outras atrações de agosto do Instrumental Sesc Brasil

10/08, Tuto Ferraz

O show traz a sonoridade do jazz e do soul aos clássicos dos grandes compositores como Wayne Shorter, Miles Davis, Gilberto  Gil, Dori Caymmi, além de composições próprias.

instrmental4

17/08, Caçapa

O trabalho autoral de Caçapa encontra suas referências fundamentais nas linguagens ancestrais do Baião de Viola e do Coco de Roda (nas diversas formas em que este gênero é cultivado nas Regiões Metropolitanas, Zona da Mata e Litoral nordestino) e alia este conhecimento às técnicas de composição da tradição erudita ocidental e à multiplicidade de informações oferecidas pelo ambiente cultural de Recife, contribuindo para o processo de urbanização e modernização destes gêneros musicais.

instrmental2

24/08, Bora Barão

Bora Barão é um grupo de música instrumental brasileira onde piano e um duo de sopros fazem parte de um conjunto tradicional formado por violão, cavaquinho e percussões. Interpreta choros, sambas, diversos ritmos regionais e composições autorais influenciadas também pela sonoridade latino americana. O álbum “baile” explora a diversidade rítmica brasileira em uma profusão de ritmos que passa pelo samba, baião, carimbó, afoxé, frevo, maracatu, maxixe, choro, entre outros. Com: Flávio Rubens e Marco Rochael – clarinetes, clarone e saxofone; Pedro Assad – piano; Alexandre Moura e Marcel Martins – violão de sete cordas e cavaquinho de cinco cordas; Ivan Banho e Pedro Romão – percussão.

instrmental1

Foto: Élcio Paraíso

31/08, Fred Selva


O vibrafonista foi um dos vencedores do Prêmio BDMG Instrumental Edição 2015. Com: Fred Selva – vibrafone; Breno Mendonça – sax; Felipe Continentino – bateria; Felipe Vilas Boas – guitarra; Frederico Heliodoro – baixo; Joana Queiroz – flauta.


 

espalhe rspeito