1598 – Fabio Bergamini (SP) mescla música étnica, world music e improvisos do jazz em seu álbum de estreia

#MPB #MúsicaÉtnica #WordMusic #Escolados7Portões #Campinas #Belic

As oito faixas instrumentais de Nandri estão gravadas no primeiro disco do selo Belic Music com a participação de vários músicos brasileiros e de renome internacional

O instrumentista e compositor Fabio Bergamini, paulista de Campinas, lançará Nandri, primeiro álbum de sua carreira e que inaugurará o portifólio do selo Belic Music na quinta-feira, 8 de dezembro, data na qual as oito faixas já estarão disponíveis em todas as plataformas digitais e, também, do concerto de lançamento, a partir das 19 horas, na Escola dos 7 Portões (E7P Urbana), situada no bairro paulistano Sumaré. O evento incluirá apresentações de Bergamini para audição ao vivo do repertório de Nandri, espaço livre para os músicos presentes tocarem ou cantarem (jam session) e videoclipes.

Nandri é todo instrumental, bebe nas fontes da world music e da música étnica e prima por arranjos que conduzem a paisagens sonoras e visuais, em total harmonia com a complexidade de improvisos do jazz. Com três décadas de carreira, Bergamini já protagonizou turnês pelo mundo com o grupo português de projeção global Madredeus e outros renomados músicos. Em seu álbum de estreia, ele insere instrumentos que para os leigos ocidentais seriam exóticos, dos mais diversos cantos do planeta, promovendo um trabalho original e sem fronteiras, ao mesmo tempo brasileiro e universal.

Continuar lendo

682- Invista no projeto “Canção do amor Distante”, de Ana Salvagni (SP) em parceria com o violonista Eduardo Lobo

ana salvagnig

A cantora Ana Salvagni (Campinas/SP) está convidando amigos e admiradores por meio de uma campanha virtual a ajudá-la a registrar em um álbum o projeto Canção do Amor Distante, que se consumado será o quarto da carreira, desta vez em parceria com o violonista e guitarrista Eduardo Lobo. Em 13 faixas com arranjos basicamente para voz e violão, Ana Salvagni pretende dar vazão à vontade de interpretar canções com maior densidade, tanto no texto, quanto na música. A Canção I, de Hilda Hilst e Zeca Baleiro,  a inspirou e ela observa que à medida em que outros ritmos, sonoridades e culturas foram incorporados ao repertório, muitas vezes a densidade deu lugar à leveza, favorecendo a condução musical mais ligada ao texto poético.

Continuar lendo