1315 -Consuelo de Paula e João Arruda protagonizam apresentações virtuais do projeto musical Beira de Folha*

*Com Eliane Verbena

#FiqueEmCasa #MáscaraSalva

#MúsicaIndependente #CulturaPopular #ViolaCaipira #Poesia #BeiraDeFolha

#Respeito #Tolerância #Diversidade #Pluralidade #BLM #Democracia #ImprensaLivre #JornalistasAntifascistas

#ForaBolsonaro

Os cantores, compositores, instrumentistas e parceiros Consuelo de Paula (Pratápolis/MG) e João Arruda (Campinas/SP) também se adaptaram aos tempos de pandemia do coronavírus (Covid-19) e vão protagonizar gratuitamente três apresentações virtuais ao vivo (lives) para começarem a divulgar o projeto musical Beirando as Folhas, que a dupla lançará em agosto como abre-alas para o álbum Beira de Folha. As composições do novo disco de Consuelo e Arruda nasceram de uma troca entre imagens e poemas: ela escreveu as letras a partir de imagens propostas por ele, autor de forma sincrônica e orgânica das melodias.

Continue Lendo “1315 -Consuelo de Paula e João Arruda protagonizam apresentações virtuais do projeto musical Beira de Folha*”

1243 – Com concerto na Assembleia de MG, Reinaldo Toledo apresenta livro 11 Estudos para Viola

Os 11 Estudos para Viola Brasileira também ganharam o formato em disco, lançado e, agosto de 2018 e disponivel nas plataformas digitais. Em ambos os volumes, o trabalho de Toledo recebeu elogios de Ivan Vilela

#vivajoãobá

O violeiro e professor, graduado em Música (Licenciatura e Bacharelado com habilitação em violão) pela Universidade Federal de Uberlândia, Reinaldo Toledo, será a atração na quinta-feira, 10 de outubro, de mais uma rodada do Projeto ZÁS, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. No palco, Toledo apresentará a partir das 19 horas concerto de viola caipira instrumental solo para marcar o lançamento do Livro de Partituras 11 Estudos para Viola Brasileira, obra artístico didática que ele assina e nasceu da necessidade por composições para a viola caipira que pudessem incentivar seus alunos a desenvolverem técnica motora e musicalidade simultaneamente.

Continue Lendo “1243 – Com concerto na Assembleia de MG, Reinaldo Toledo apresenta livro 11 Estudos para Viola”

1221- Forte, mas sem perder a ternura: Com “Maryákoré”, Consuelo de Paula (MG/SP) volta a erguer a voz frente aos desafios dos nossos tempos*

Sétimo álbum autoral inaugura uma nova assinatura para a cantora, compositora e escritora mineira por meio de dois movimentos que, expressos em dez faixas, traduzem uma arte guerreira e simultaneamente amorosa, que se alimenta da força das brisas e das tempestades em meio às batalhas cotidianas pela vida e pela arte

*Com Verbena Comunicação (Eliane Verbena/João Pedro)

A cantora e compositora Consuelo de Paula está lançando o sétimo disco da carreira, Maryákoré: uma obra provocadora naquilo que tem de mais feminina, mais negra, mais indígena e mais reveladora de nós mesmos. O título pode ser entendido como uma nova assinatura de Consuelo de Paula: maryá (Maria é o primeiro nome de Consuelo), koré (flecha na língua paresi-haliti, família Aruak), oré (nós em tupi-guarani), yakoré (nome próprio africano). Um exemplar do disco de 10 faixas já está rolando aqui na vitrolinha do boteco do Barulho d’água Música, em São Roque, cidade do Interior de São Paulo, pelo qual agradecemos às queridas amigas Consuelo e Eliane Verbena, da Verbena Comunicação, estabelecida na cidade de São Paulo (SP).

Além de assinar letras e músicas – tendo apenas duas parcerias, uma com Déa Trancoso e outra com Rafael Altério -, Consuelo é responsável pela direção, pelos arranjos, por todos os violões e por algumas percussões de Maryákoré (caixa do divino, cincerro, unhas de lhama, entre outros). A harmonia entre Consuelo e sua música, sua poesia, sua expressão e a estética apresentada é nítida nesse novo trabalho. Ao interpretar letras carregadas de imagens e sensações, ao dedilhar os ritmos que passam por Minas Gerais e pelos sons dos diversos “brasis”, notamos a artista imersa em sua história: ela traz a vida e a arte integrada às canções.

Continue Lendo “1221- Forte, mas sem perder a ternura: Com “Maryákoré”, Consuelo de Paula (MG/SP) volta a erguer a voz frente aos desafios dos nossos tempos*”