Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!


Deixe um comentário

974 – Cole no Sesc Pompeia (SP) e conheça Rebento, novo álbum instrumental do violeiro Ricardo Vignini!

Um dos violeiros mais atuantes do país, Ricardo Vignini, é o convidado do projeto Plataforma para a apresentação da quinta-feira, 20, no palco do teatro da unidade Pompeia do Sesc de Sampa. A partir das 21 horas, o cantor e compositor lançará o mais novo álbum da carreira solo, Rebento, que reúne 13 músicas instrumentais, das quais 10 de autoria própria. Para o show de lançamento, o violeiro chamará para a roda André Rass (percussão), Ricardo Carneiro (violão e guitarra), Sergio Duarte (gaita), Ari Borger (piano) e Bruno Serroni (violoncelo).

Continuar lendo


Deixe um comentário

945 – Cantores populares animam II Feira Nacional da Reforma Agrária, do MST, em São Paulo

Da página do MST e da Agência Brasil

Pereira da Viola, Arnaldo Freitas, Cacique e Pajé, Katya Teixeira, Sapiranga, Osni Ribeiro, Ricardo Vignini Trio, entre outros expoentes da melhor música caipira e regional do país estarão entre as atrações que o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) convidou para cantar e tocar nos palcos da II Feira Nacional da Reforma Agrária, que a exemplo da pioneira (promovida em outubro de 2015) transcorrerá mais uma vez no Parque da Água Branca, situado na zona Oeste de São Paulo, com entrada franca. Neste ano o evento começará na quinta-feira, 4 de maio, e se estenderá até o começo da noite de domingo, 7. Os organizadores contam com a presença de agricultores de acampamentos e assentamentos de todo país e pretendem com a iniciativa abrir diálogos com a sociedade sobre a necessidade de adoção de modos mais equilibrados de se alimentar e de uma transição do atual modelo agrícola, que o MST considera predatório dos recursos naturais, para um que respeite o trabalhador e o meio ambiente. Além dos shows musicais que contarão também com Tulipa Ruiz, Emicida e Chico César, o público encontrará ainda bancas com variada oferta de comidas saudável e típicas, poderá trocar mudas e sementes, ouvir palestras e acompanhar seminários, escolher livros disponíveis em tendas literárias ou curtir apresentações teatrais, entre outras atividades culturais (veja programação ao final da matéria).

Continuar lendo


Deixe um comentário

Matuto com ascendente Roqueiro

Vignini 3 

Ricardo Vignini tem pinta de roqueiro, de alguém completamente avesso às modas caipiras ou que pouco se lincha para músicas que não tenham muito metal pesado e cordas distorcidas tocados em volume condizente. Quem pensar desta forma sobre o aniversariante de hoje, 3 de setembro, estará parcialmente certo, mas não poderá se quedar à primeira impressão. O cabeludo de óculos de aro redondo, que provavelmente você encontrará e o verá vestido de calça jeans e camiseta preta ao trombar com ele por ai integra, sim, uma banda de rock, a Mano Sinistra (Mão Esquerda, em italiano), e, em parceria com Zé Helder, gravou um dos melhores trabalhos do gênero na atualidade, em 2011. 

Estes detalhes da obra e da discografia dele venhamos, reforçam o perfil de quem dorme embalado por Judas Priest e acorda estimulado pelo Sepultura. A ressalva é que “Moda de Rock, Viola Extrema” é uma bem elaborada fusão da guitarra, por meio de clássicos de Pink Floyd, Iron Maiden, Jimi Hendrix, Led Zepellin, com a viola caipira que ponteia em muitas festas, bailes de roça e celebrações religiosas em cujo ambiente o divino fala mais alto.

Um crítico bem humorado e certeiro já classificou o trabalho de “Woodstock Rural”,  perfeita descrição do que Vignini e Zé Helder colocaram no primeiro volume do disco. Ambos já burilam o segundo, agora com versões de sucessos do Dire Straits, dos Rolling Stones, e do Ramones para serem tocadas tanto em quermesses quanto no “Rock in Rio”.

Com Zé Helder Vignini integra, ainda, a banda “Matuto Moderno”, que explora com ironia, sátira e bom humor as peculiaridades e semelhanças entre rock e música rural. A porção mais violeiro de RV, entretanto, está mais definida em “Duas Gerações”, álbum que ele lançou em julho, em parceria com Índio Cachoeira, no SESC Belenzinho.

Nesta sexta-feira, 5 de setembro, Ricardo Vignini vai comemorar a chegada de mais esta primavera apresentando-se ao lado do xará Ricardo Carneiro, a partir das 21 horas, no Espaço 91. Ele tocará viola, o que faz habilmente, e com a mão esquerda; Carneiro vai de violão. A casa de espetáculos fica na Vila Romana, bairro paulistano colado à Lapa, às Perdizes e nas imediações de Pinheiros (saiba mais clicando em http://www.mediasight.com.br). Apareça por lá e dê seu abraço neste camarada que é um dos melhores do país!

Vigniniw