1568 – Gilson Peranzzetta e Marcel Powell lançam Pro Tião, com participação de Alaíde Costa, no Blue Note,

#MPB #Violão #Piano #MúsicaInstrumental #CulturaPopular #ProdutoraeGravadoraKuarup

Disco pelo selo Kuarup homenageia o violonista paraense Sebastião Tapajós, com músicas inéditas dos autores e clássicos instrumentais do gênero

Texturas, entrelaçamento de cordas, cores, suavidades, sonoridades, timbres, vigor, emoção pura. Estas são as imagens sugeridas pelo encontro do pianista e maestro Gilson Peranzzetta com o violinista Marcel Powell em Pro Tião, álbum lançado e distribuído pela gravadora Kuarup e que ganhará concerto na casa noturna Blue Note, situada na cidade de São Paulo. A dupla estará no palco na sexta-feira, 9 de setembro, a partir das 20 horas, em encontro cujo disco homenageia o violonista paraense Sebastião Tapajós, falecido em outubro do ano passado.

A arte dos dois instrumentistas imprime à formação de duo dimensão nova e surpreendente, foge dos sotaques conhecidos para formular uma sonoridade peculiar. Nas 11 faixas estão contidos sedimentos culturais do Brasil, retratados pela diversidade de ritmos e gêneros. Peranzzetta e Powell protagonizam solos e ao tocarem juntos trocam funções e sensações em busca de inéditas dinâmicas. Ora com a mão esquerda ao piano, Peranzetta busca os baixos e desenha a harmonia para que Powell evolua ao violão, ora o violão serve de apoio para o piano, o que brinda o público com um espetáculo mágico.

Continuar lendo

1354 – Novo disco de Arismar do Espírito Santo (SP) já pode ser ouvido nas plataformas digitais

#MúsicaInstrumental #Jazz #Piano #CachaçaNacional #ValeDoRibeira

As plataformas digitais já oferecem a quem gosta de boa música a versão completa do álbum Cataia, da Folha ao Chá, lançado no final do ano passado por Arismar do Espírito Santo. O multi-instrumentista e compositor paulista de Santos, litoral Sul do Estado, inspirou-se em uma planta nativa cujo nome cientifico é Drimys brasiliensis e que ocorre mais comumente na Mata Atlântica, em especial no Vale do Ribeira, onde também é conhecida por casca d’anta. Além do uso medicinal, das folhas da cataia provem a cachaça conhecida por “uísque caiçara”.

O álbum tem 14 faixas, todas de Arismar, executadas por ele ao piano e ao violão, ao lado de Glauco Solter (baixo) e Mauro Martins (bateria). De acordo com o autor, o álbum pode ser considerado “uma infusão sonora que homenageia o ideário rico em sotaques melódicos e humores do vivencial caiçara de São Paulo e do Paraná, em composições marcadas pelo sotaque musical dos boas praças”.

Continuar lendo