Acordais mostra canções próprias e modas consagradas em show no Sesc Belenzinho (SP)

acordais

O grupo paulistano Acordais animou a plateia que esteve no começo da noite de domingo, 26 de julho, no Teatro do Sesc Belenzinho (São Paulo) e acompanhou o show no qual cantou músicas do álbum homônimo entremeados a sucessos do cancioneiro popular e regional, como os sucessos Canário do reino (Carvalho e Zapata), bastante conhecido na voz de Tim Maia, e Muié Rendeira, além de De papo pro ar (Joubert Carvalho e Olegário Mariano)Beira-mar, canção de domínio público, e do poema Cantá, de Gildes Bezerra (Itajubá-MG), declamado por Alex Rocha, um dos integrantes. Empório do Camarguinho, cantada antes do bis, faz referência a um armazém que realmente existe no endereço mencionado pela música, na cidade paulista de São João da Boa Vista.

Alex Rocha (voz e viola de cocho) é um dos compositores do Acordais ao lado das cantoras Joyce Carvalhaes (vocais) e Érika Bordin (vocais). Os músicos são Celso Marques (violão), Vinícius Almeida (contrabaixo), Jica Tarancón (percussões), Sérgio Penna (viola caipira) e Robson Russo (arranjos e instrumentação), que também é produtor do disco e durante o show ficou na plateia. Nesta apresentação no Belenzinho, participaram o rabequista Valmir Roza e Liu Santos, nos vocais. Em novembro, o grupo esteve no palco do teatro do Sesc Pompeia como convidado do programa Sr.Brasil, de Rolando Boldrin. 

Além das composições do grupo, o repertório do Acordais conta com canções tradicionais da nossa cultura, mais causos que sempre divertem a plateia. As composições próprias têm aroma de casa do interior e adicionam ao seu pó de café influências de música caipira, moda de viola, chamamé pantaneiro, folia de reis, com pitadas de requinte de instrumentos como violoncello, piano e violão folk. Os contatos para contratar o Acordais e animar contações de histórias para todas as idades e oficinas artísticas, entre outros eventos, são +55  11  97667.4921, acordais@gmail.com e facebook.com/acordais

jica são gonçalo

 caminhos

 

Anúncios

Apeia no Sesc Belenzin (SP) módi tomá um cafezin mais os mininu do Acordais, cumpadê!

 

O grupo paulistano Acordais, de música brasileira, apresentará composições autorais e também músicas tradicionais da nossa cultura popular neste domingo, 26, a partir das 18 horas, no Sesc Belenzinho (SP). O repertório do Acordais é entremeado por causos, por vezes contados ou cantados, e apresenta influências caipira,  da moda de viola, do chamamé pantaneiro e da folia de reis, oferecidos ao som de instrumentos como violoncello, piano e violão. O álbum homônimo, de 15 faixas, teve a participação especial da cantora e pesquisadora Kátya Teixeira (SP) e foi lançado durante uma gravação  dos músicos em 2014, no programa Sr. Brasil, de Rolando Boldrin.  

Acordais

Integram o Acordais Alex Rocha (vocal e viola caipira), Joyce Carvalhaes (vocais), Érika Bordin (vocais, cenário e figurinos), Robson Russo (violão e viola caipira), Celso Marques (violão), Vinícius Almeida (baixos elétrico e fretless), Jica Tarancón (percussões) e Alef Bem (violoncello).

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1.000, a um tirin da parada do trem que parece tatu!

jinela acordais
Foto: Paulo César (www.clickpcphoto.com.br)

Sirvidô?

Acordais é café fresco ainda saindo fumaça.

Safra de plantação musical orgânica, Acordais é receita caseira, feita sem pressa, coada no jacarandá da viola caipira  do violão, que chamam ao novo dia a dança da gaita gaúcha, o gemido da rabeca, o assovio da gaita de boca e as batidas das percussões  ritmos do Brasil.

Por vezes o cheiro do café segue pelo ar e chega à vizinhança pantaneira, com seus chamamés e o andino huapango, e também às palmas e sapateados do catira e dos cantos de chegança mineiros e paulistas. Dos arredores lusitanos, as folias de reis acordam o menino Jesus, que, após mamar, volta ao sono numa cantiga de lavadeira do rio Jordão.

As canções autorais, artesanalmente compostas e colocadas à disposição na prateleira de um empório de parede caiada de terra, falam de um coração desarmado, que conversa com Deus ao final do dia, que se lembra da infância e que passeia por um mundo onde o céu é bebido, vindo morr dentro da alma.

No tempo de um relógio sem ponteiros, se achegam à roda, com uma xícara, não só os de casa, mas os parentes da cidade e até mesmo os estrangeiros violão folk, piano, baixo elétrico, charango, violoncello e baixo fretless.

Acordais pede tempo kairós, tempo de degustação meditativa, devagar, como quem acende um fogão a lenha.

Nosso agradecimento aos que trouxeram  lenha, acenderam o fogo e assaram o pão-de-queijo-nosso-de-cada-dia.

Texto de apresentação do álbum Acordais

band meninos

Grupo paulistano Acordais é a atração da última rodada do Brasil Caboclo, em São Caetano do Sul (SP)

Acordais SC
Érika Bordin e Alex Rocha fazem parte do Acordais, que em São Caetano do Sul terá também a participação de Sérgio Penna (Foto: Divulgação)

 

O Sesc de São Caetano do Sul encerrará nesta sexta-feira, 20, o projeto Brasil Caboclo, encontro de cantores e compositores que ao som do ponteado da viola mescla canções, causos, crenças e histórias e já pôs no palco Passoca (SP), Yassír Chediak (RJ), e Oswaldinho e Marisa Viana (SP). A cantoria da última rodada, com o grupo paulistano Acordais, começará às 19 horas, sem restrição etária para a entrada do público, e preço de ingresso variando entre R$ 5,00 e R$ 17,00. O Sesc São Caetano fica na rua Piauí, 554, telefone 11 4223 8800, a 1400 metros da estação da CPTM.

Alex Rocha (voz e violão), Érika Bordin (voz) e  Sérgio Penna (viola caipira) vão representar o Acordais nesta apresentação. O grupo mostrará ao público composições próprias que, de acordo com o material de divulgação, “têm aroma de casa do interior e adicionam ao seu pó de café influências de música caipira, moda de viola, chamamé pantaneiro, folia de reis, com pitadas de requinte de instrumentos como violoncello, piano e violão folk, sem deixar de lado os causos, por vezes contados ou cantados”. Ainda conforme o texto, “a brincadeira começou há alguns anos com um trio que botou à mesa voz, viola caipira e piano. Posteriormente, atraídos pelo cheiro do café, outros instrumentos foram se achegando”

O Acordais já gravou um álbum, homônimo, e tem sido atração em festivais, centros culturais, no circuito Sesc, em rodadas de contações de histórias (para todas as idades) e oficinas artísticas. Além do trio que estará em São Caetano, compõem o grupo Joyce Carvalhaes (vocais),  Celso Marques (violão), Vinícius Almeida (contra-baixo), Jica Tarancón (percussões), e Robson Russo (arranjos e instrumentação).

lontra

Acordais e Trio José vão deixar mais poética a manhã de domingo, 23, com apresentações no Sr.Brasil

O grupo paulistano Acordais, formado pelo casal Joyce Carvalhaes e Alex Rocha, vai ser uma das atrações do Sr.Brasil que a TV Cultura levará ao ar neste domingo, 23, a partir das 10 horas. Em outro bloco da mesma edição, Rolando Boldrin receberá o Trio José, três amigos de São José dos Campos que recentemente lançaram Puisia. Os convidados são novidades das melhores no cenário musical brasileiro e encantaram a plateia. O público assistirá, também, a declamação de Boldrin para o poema Carreiro (Zé do Norte), em um dos mais belos momentos do programa que ele comanda há 34 anos, dos quais nove na emissora pública da Fundação Padre Anchieta de São Paulo.

Acordaisw
O casal Alex e Joyce forma o Acordais, uma das novidades do cenário musical paulista, que canta composições próprias sobre a simplicidade da vida no campo (Fotos de Marcelino Lima)

Continue Lendo “Acordais e Trio José vão deixar mais poética a manhã de domingo, 23, com apresentações no Sr.Brasil”

Acordais e Trio José encantam plateia em mais um Sr.Brasil, com Rolando Boldrin

Acordaisw
O casal Alex Rocha e Joyce Carvalhaes, fundadores do Acordais, que esteve no Sr.Brasil em 14/10 (Fotos: Marcelino Lima)

O Barulho d’água Música acompanhou na noite da terça-feira, 14 de outubro, mais uma gravação no teatro do SESC Pompeia do programa Sr.Brasil.

Os convidados de Rolando Boldrin, desta vez foram, o grupo Acordais, que tem a participação de Jica, da dupla Jica Y Turcão, e o Trio José, este formado por amigos de São José dos Campos. Ambos são novidades das melhores no cenário musical brasileiro e encantaram a plateia.

Continue Lendo “Acordais e Trio José encantam plateia em mais um Sr.Brasil, com Rolando Boldrin”

Boldrin canta sucesso de João Pacífico e Edmundo Souto e público curte Airô Barros no “Sr.Brasil”

photo
Airô Barros é de Capoeiras (PE) e cantará em mais uma edição do Sr. Brasil

O Sr.Brasil deste domingo, 17, estará imperdível! Rolando Boldrin, para começo de prosa, vai cantar “Alpendre da saudade”, de Edmundo Souto e João Pacífico, acompanhado por Neymar Dias (viola), Edmilson Capelupi (violão 7 cordas) e Guello (percussão). O público também poderá curtir a reapresentação de Luiz Vieira, comemorando os nove anos do programa na TV Cultura. Outra atração será a cantora Airô Barros (Capoeiras – PE), cujo repertório terá “Terra em transe” (Gladir Cabral), “Cruzeiro do Sul” e “Mazzaropi” (Jean Garfunkel / Paulo Garfunkel). Airô terá a companhia de Barbosa Albuquerque (percussão), Cézar do Acordeon (acordeom), Clauber Ramos (violão), Robson Russo (violão) e Roberto Diamanso (percussão). Assista a partir das 10 horas, e, se perder, curta a reprise na quarta-feira 20, a partir das 22 horas.

9533662a0f218518dc8cda5dc25fa5889ad670f8
Boldrin vai cantar “Alpendre da Saudade” e os fãs do Sr.Brasil ainda vão rever Luiz Vieira, autor de “Prelúdio para ninar gente grande” (Foto: Pierre Yves Rufolo)

Festa junina no Morumbi apresenta Cláudio Lacerda

Imagem

Imagem

Tiago Passos

O Barulho d’água acompanhou no sábado, 7 de junho, parte da programação do primeiro dia do “45º Arraiá do Paineiras”, promovido pelo tradicional Clube Paineiras do Morumby, situado na Zona Sul de São Paulo. Uma das atrações, o cantor e compositor Cláudio Lacerda, ocupou o palco acompanhado por Robson Russo (viola) e Tiago Passos (contrabaixo). Ao público, Lacerda apresentou entre outros clássicos da música de raiz “Vide e Vida Marvada”, de Rolando Boldrin, com a qual abriu a cantoria.

O autor de São Luiz do Paraitinga Elpídio dos Santos foi lembrado com “Você vai gostar”, também conhecida por “Casinha Branca”. De Renato Teixeira, Cláudio Lacerda escolheu “Meu Veneno” e “Romaria”. Pena Branca e Xavantinho, homenageados por meio de “Calix Bento” e “Cai sereno, cai”, e Tonico e Tinoco (“Canta moçada”), enriqueceram o repertório preparado com muito bom gosto para a festança caipira.

Músicas dos três álbuns de Cláudio Lacerda (“Alma Lavada, “Alma Caipira” e “Cantador”) complementaram a lista. Um dos maiores sucessos desta trilogia, “Canto Brasileiro”, ele assina em parceria com Eduardo Santana e no álbum “Cantador” tem a participação de Dominguinhos.

A plateia ainda ouviu “Canta que é bonito” (escrita a quatro mãos, com Júlio Bellodi) e “Bons Amigos”, moda das mais consagradas do violeiro paulistano, gravada recentemente pelo parceiro de estrada Rodrigo Zanc em “Fruto da Lida”. Zanc, por sinal, é companheiro de Lacerda em projeto de tributo a Pena Branca e Xavantinho. Com o amigo de São Carlos, mais Wilson Teixeira e Luiz Salgado, Lacerda integra o “4 Cantos”.

Vale a pena ressaltar que na sexta-feira, 13 de junho, Dia de Santo Antônio, Lacerda estará de volta ao Morumbi.  Ao lado de Zanc, ele concederá entrevista ao vivo para o “Terra Viva”, canal de agronegócios do grupo Bandeirantes, prevista para começar às 12h30.

 

Legenda:

De cima para baixo: Cláudio Lacerda, Robson Russo e Tiago Passos (Fotos de Marcelino Lima)