886 – Sueldo Fernandes (SP) canta histórias para público da Estação Cultural de Santa Bárbara d’Oeste (SP)

O cantor e compositor Sueldo Fernandes será uma das atrações da Estação Cultural de Santa Bárbara d’Oeste neste sábado, 4 de junho, quando protagonizará a partir das 16 horas o espetáculo Cantando História, projeto viabilizado pelo ProAc de São Paulo. Natural da cidade paulista de Santos, Sueldo Fernandes toca instrumentos de cordas e de percussão, é luthier, pesquisador de cultura e de temas do folclore nacional. Desde a infância demonstra os dotes artísticos que permitem além de atuar como músico compor as próprias poesias e melodias. Em sua carreira integrou bandas como vocalista e instrumentista entre 2000 e 2007, optando após esta experiência por empregar a voz marcante e apoiada em vários timbres passeando por ritmos  populares brasileiros, country e folk, sempre buscando compor canções autorais que também destacam elementos de culturas étnicas tradicionais marcadas pela visão criativa, inovadora e original.

O currículo de Sueldo Fernandes no circuito paulista aponta entre outras atividades a turnê Cantante Romântico das Américas (entre 2012 e 2014) e participações em programas como o Dia Dia Rural, apresentado por Tavinho Ceschi no Terra Viva, canal de agronegócios da TV Bandeirantes (SP); Revelando São Paulo; e Festival da Cultura Paulista Tradicional, com a atriz Nani Braun, da TV Cultura (São Paulo). Cantando História reúne músicas étnicas, próprias e inéditas, em um álbum single distribuído digitalmente por plataformas virtuais. O disco também pode ser encomendado junto à Cantando História Produções, cujos números de telefone são 11 2456-3338/ 11 98486-5793

estação sbo

Trilhos da arte e da emoção

Antes da apresentação de Sueldo Fernandes o público que frequenta a Estação Cultural de Santa Bárbara d’Oeste poderá acompanhar durante uma feira de artesanato um coral local (a partir das 10 horas) e uma sessão de contação de histórias intitulada Rolando Causos com a Companhia Xekmat (por volta das 13 horas). Administrada pela Fundação Romi, a casa de espetáculos promove encontros plurais e multiculturais em um espaço revitalizado da antiga estação ferroviária da cidade, no qual a comunidade pode aprimorar a sua percepção acerca da cultura regional, divulgar valores, trocar vivências, adquirir conhecimentos, experimentar emoções, elaborar pensamentos, tomar iniciativas e ajudar a constituir a identidade cultural da região por meio exposições, oficinas e cursos de literatura, música, teatro e dança, dentre outras que promovam o desenvolvimento social por meio da cultura.

O endereço é rua Tiradentes, 2, Centro, e para mais informações sobre a programação oferecida de terça à sexta-feira (das 9 às 18 horas), aos sábados (das 8 às 17 horas) e aos domingos (das 8 às 12 horas) há o telefone  (19) 3455-4830

estação sbo 2

 

869 – Agenda de Luiz Salgado tem cantoria e TO, MA e PA e fecha com estreia do 4 Cantos em Uberlândia

O público de três estados brasileiros conhecerá em maio o cantor e compositor Luiz Salgado (Araguari/MG), cuja agenda  de apresentações começará no dia 7, durante a chegada da tocha dos Jogos Olímpicos no páteo do teatro municipal, em Uberlândia. Em seguida começará o giro por Tocantins, Maranhão e Pará que o levará a cidades nas quais, simultaneamente a cantoria, haverá o lançamento do documentário Guerrilha do Araguaia. De volta às Minas Gerais, o violeiro contador de causos dará continuidade ao projeto Canto & Viola, acompanhado em Belo Horizonte por Tau Brasil. Para fechar os compromissos neste mês, Salgado será anfitrião dos parceiros Cláudio Lacerda (São Paulo/SP), Rodrigo Zanc (São Carlos/SP) e Wilson Teixeira (Avaré/SP) na primeira apresentação nas Alterosas do Projeto Cultural 4 Cantos, novamente em Uberlândia.

Continue Lendo “869 – Agenda de Luiz Salgado tem cantoria e TO, MA e PA e fecha com estreia do 4 Cantos em Uberlândia”

780 – Primeira boa notícia de 2016: Ricardo Vignini e Zé Helder lançam Moda de Rock II em Sampa

arte vignini e ze helder

Em 6 de janeiro chegará às lojas e à internet, portanto em formato físico e em arquivos digitalizados, Moda de Rock II, álbum dos violeiros Ricardo Vignini (SP) e Zé Helder (MG), membros da banda paulistana Matuto Moderno. Moda de Rock II recebeu prêmio previsto em lei por meio do ProAC, vinculado à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, para a produção do disco e circulação pelo Estado. Assim, em 2016, a dupla pretende revisitar todos os lugares onde foi recebida por plateias entusiasmadas que lotaram as casas de espetáculos para curtirem o primeiro álbum da série Moda de Rock & Viola Extrema e realizar uma turnê ainda maior já a partir de 17 de janeiro, quando será atração do, com a participação de Robertinho do Recife.

O novo trabalho segue a mesma fórmula do Moda de Rock & Viola Extrema (2011) anterior, apresentando versões instrumentais de clássicos do rock adaptados para a viola caipira. O público que há tempos já esperava pela boa notícia curtirá nesta nova edição sucessos de bandas como Metallica, Iron Maiden, Pink Floyd, Sepultura e novidades como Queen, Dire Straits, Slayer e Ramones.

Quase cinco anos após o lançamento do primeiro Moda de Rock & Viola Extrema (feito via financiamento coletivo, ou crowdfunding), a dupla contabiliza mais de 300 concertos, um DVD com as participações dos guitarristas Pepeu Gomes e Kiko Loureiro e do tradicional grupo Os Favoritos da Catira. A dupla também teve como convidados os guitarristas Andreas Kisser (Sepultura), Lúcio Maia (Nação Zumbi) e Renato Teixeira levando a vários palcos por todo o Brasil, Estados Unidos e Argentina um projeto nascido quase como brincadeira: a intenção era mostrar aos alunos o potencial da viola, posto que Ricardo e Zé atuam também como professores do instrumento, e reviver a trilha sonora da adolescência. O lançamento do CD Moda de Rock – Viola Extrema virou fenômeno de mídia e de vendas: no espírito da viola caipira, In the Flesh (Pink Floyd), por exemplo, tornou-se uma singela valsinha, Aces High (Iron Maiden) e Master of Puppets (Metallica) ganharam levadas de pagodes de Tião Carreiro e assim a viola chegou para amantes do rock pisando em templos até então inéditos.

Além da demanda de shows, outros projetos paralelos do duo contribuíram para a “demora” em lançar o volume II. Nesse meio tempo, os violeiros lançaram Matuto Moderno 5 (2012);  Ricardo Vignini trouxe Viola Caipira Duas Gerações, com o mestre violeiro Índio Cachoeira, e o power trio de rock pesado Mano Sinistra (2014). Fora isso Vignini produz e participa de inúmeros shows e álbuns, dentro e fora do país, entre os quais se destaca Carbono, que acabou rendendo um convite para ele tocar com o pernambucano quando Lenine protagonizou show no Rock in Rio, em setembro. Zé Helder lançou em 2015 Assopra o Borralho, terceiro volume de sua discografia.

Agenda de shows do Moda de Rock II

17 de janeiro, 18 horas: Lançamento do Moda de Rock II no Sesc Pinheiros, São Paulo, com participação de Robertinho de Recife
23 de janeiro, 21 horas, São Francisco Xavier/SP
12 de fevereiro, 20 horas, Assis/SP
13 de fevereiro, 20 horas, Guarulhos/SP
19 de fevereiro, 20h30, Santa Barbara D’Oeste/SP
25 de fevereiro, 20 horas, Tatuí/SP
27 de fevereiro, 20 horas, Brotas/SP
4 de março, 20 horas, Bragança Paulista/SP
9 de março, 20 horas, Botucatu/SP

caveirasfvpb2

 

767 – Guilherme Argentão, músico do Grupo Violado (SP), comemora hoje mais um aniversário!

11147160_1022547897836917_3226393814697774254_n
Guilherme Argentão (de camisa azul) e os parceiros com os quais gravou o segundo álbum do Grupo Violado: Fernando Tal (de gravata), Bruno Paparoti (de chapéu) e Filipe Rozinelli (Foto: Divulgação Grupo Violado)

A folhinha do Barulho d’água Música registra que hoje é aniversário do produtor cultural Guilherme Argentão, músico de Santa Barbara d’Oeste (SP) que integra o Grupo Violado de Música Raiz, no qual toca bateria e percussão. Guilherme e os amigos Fernando Tal (vocais e violão), Bruno Paparoti (viola caipira, violão e vocais) e Filipe Rozinelli (baixolão e violão) compõem a formação que no começo deste ano gravou uma autêntica viagem ao universo caipira por meio das faixas de Viola Enfeitiçada, segundo álbum o Grupo Violado cujo repertório de treze composições traz seis autorais e participações especiais de Rodrigo Zanc (violeiro de São Carlos, autor em parceria com Isaías Andrade da faixa título) do cantor Milionário (Sonho de um Caminhoneiro), do acordeonista Gerson Douglas (Chão Pantaneiro) e de Os Favoritos da Catira (Gato de Três Cores). 

O Grupo Violado está na estrada desde 2006 e, em 2009, lançou o primeiro álbum independente em disco e em vídeo, ao vivo. O trabalho batizado como Espetáculo de Viola reúne clássicos da moda de viola raiz e na ocasião o time atuava com Antônio Amaral Freire (violão e segunda voz) e João Paulo Froner (viola caipira), além de Guilherme Argentão, Fernando Tal e Filipe Rozinelli; o atual violeiro, Bruno Paparoti, é regente da Orquestra de Violas de Americana, cidade vizinha à Santa Bárbara d’Oeste. Espetáculo da Vida projetou o Grupo Violado no cenário da autêntica música de raiz e chegaram os reiterados convites para apresentações nos circuitos do Sesc São Paulo, teatros, festas de cidades e Virada Cultural Paulista, entre outros palcos, sempre acompanhadas por lotações plenas dos auditórios e numeroso público. O Grupo Violado também tem no currículo gravações em programas de televisão como Caminhos da Roça, de Mazinho Quevedo; Arena do Som, na TV Século XXI, e Terra da Padroeira na TV Aparecida.

O Barulho d’água tem o primeiro disco em seu acervo e o DVD correspondente gravado no Teatro Municipal Manoel Lyra, em Santa Bárbara d’Oeste, autografado por  Filipe e Guilherme. Volta e meia o álbum rola no Solar da Lageado, pois recria a oportunidade e o prazer de ouvir, por exemplo, clássicos de raiz  como A Volta do boiadeiro, de Sulino e Marrueiro, — toada já gravada por Lourenço e Lourival e Sérgio Reis com a qual este blogueiro se reencontrou assistindo justamente ao vídeo, removendo-a do esquecimento de um escaninho qualquer da minha memória.

barro branco

A canção destacada é a #3 de 17 do repertório que relembra ainda Teddy Vieira e Luizinho, Moacyr dos Santos, Raul Torres, Tinoco, João Mulato, Dino Franco, Jacozinho e os parada-duras Creone e Barrerito (o terceiro era o Mangabinha), entre outros nomes consagrados do gênero que integram uma lista dourada complementada por vários pagodes do mestre Tião Carreiro e uma releitura  de Vide, Vida Marvada, de Rolando Boldrin; para quem tem mais de 50 aninhos, como eu, esta seleção atiça uma gostosa saudade! Sempre volto aos quintais da infância, revisito tempos distantes e já meio esmaecidos que, na verdade, não passaram e estão marcados por experiências e brincadeiras aparentemente pouco significativas, mas que moldam o caráter e definem os valores que abraçamos para o resto da vida — tais como subir em goiabeiras, beber leite ordenhado na hora, pisar em merda recém cagada de boi ou  de vaca, ouvir moda de sanfona e de viola aos pés da cama dos pais, rezar em novenas ou em vias sacras, marcar horas pelo canto de uma seriema, assustar-se com o pio de uma coruja.

sítio paraíso

As memórias se manifestam assim para todos; jamais morrem, ficam apenas quietinhas dentro da gente. O maior mérito que trabalhos como os discos do Guilherme Argentão e dos seus amigos é justamente este: impedem que morram ou fiquem relegadas nossas tradições, abrem a porteira que as aprisiona para que corram a galope, levando-nos a passear de canoa, a pescar na beira de um córrego, tomar café coado recém socado em pilão, a admirar a bunda de uma aranha com reverência ao inseto, na varanda do sítio das nossas Tias Marias, onde escutamos tanta história de mulas sem cabeças, de assombração de tudo que é jeito esquisito. Ah, então, vamos deixar de prosa e parafraseando Paulo Freire … vai ouvindo, vai ouvindo (e assistindo) e não se contenha se, de uma hora para outra, a garganta apertar em um nó, os joelhos tremelicarem, o peito sufocar!

Feliz aniversário, Guilherme Argentão, e sucesso sempre!

Repertório do álbum Viola Enfeitiçada

Para quem ainda não os possui, os dois álbuns e o DVD mencionados neste texto podem ser encomendados diretamente com os músicos que, assim como o Grupo Violado, mantêm perfis em mídias sociais.

ATR21908-500x500

1 -Viola Enfeitiçada (Participação especial Rodrigo Zanc)
2- Pego Pesado
3- Sonho De Um Caminhoneiro (Participação especial Milionário)
4- Caçador
5- Ponto Fraco
6- Amor e Saudade
7- Não Fale Mal Da Viola
8- Malandro Da Barra Funda
9- Gato De Três Cores (Participação especial Os Favoritos Da Catira)

10-Chão Pantaneiro (Instrumental)
11-Difícil Encontrar
12-Liguei Pra Dizer Que Te Amo
13-Peça Meu Mundo

anuncio papai noel

 

 

643 – Cláudio Lacerda (SP) é nova atração do projeto Imagens do Brasil Profundo, na Biblioteca Mário de Andrade

11996524_1038620892839344_1941182314_o

O cantor e compositor Cláudio Lacerda será o convidado do projeto Imagens do Brasil Profundo da quarta-feira, 16 de setembro, quando será recebido a partir das 20 horas no auditório da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, pelo curador, professor de Sociologia Jair Marcatti. Paulistano filho de mineiros, Cláudio Lacerda estreou em 2003 a sua carreira musical ao lançar Alma Lavada. Dois anos depois, faturou como melhor intérprete uma das estatuetas do I Prêmio Rozini Nacional de Excelência da Viola Caipira, promovido pelo IBVC (Instituto Brasileiro de Viola Caipira). O IVBC o distinguiu, novamente em 2010 e em 2013.

Em sua trajetória, que recentemente ganhou as páginas da edição de agosto da revista Dinheiro Rural, Cláudio Lacerda já dividiu palco e faixas de seus discos com nomes como Dominguinhos e Renato Teixeira e em 2007 gravou seu segundo álbum, Alma Caipira. Em 2010, saiu CantadorAtualmente grava um novo trabalho, Estradas do Sertão, com participações de Neymar Dias (viola caipira, baixo, violão) e Toninho Ferraguti (acordeon), que reunirá músicas de autores consagrados como Tom Jobim e Chico Buarque cujas letras abordam o sertão  e suas belezas. Ele também planeja colocar no mercado Trilhas Boiadeiras, álbum que gravou a pedido da emissora Terra Viva, canal que está completando uma década de atividades.

Cláudio Lacerda, além da carreira solo e dos projetos pessoais, integra desde 2011 o grupo 4 Cantos, com o amigos e violeiros Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira. O quarteto conquistou fãs em cidades paulistas tais quais Avaré, Araraquara, Botucatu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santa Bárbara d’Oeste, São Carlos e Santa Fé do Sul; em julho estreou na Capital com duas concorridas apresentações. Com Rodrigo Zanc protagoniza, ainda, shows em tributo a Pena Branca  e Xavantinho e sem fazer proselitismo ecológico, estreou Olhos d’água em outubro de 2014, no Sesc de Campinas, semente plantada e que vem sendo regada desde 2008 quando Cláudio Lacerda, junto com o compositor Paulo Simões, realizou a viagem de barco pela extensão da hidrovia Tietê-Paraná.

cródio lacerda

Olhos d’água tem repertório inspirado em rios e na sua importância na vida das comunidades ribeirinhas, atividades humanas e equilíbrio da natureza. Uma das composições é Mar Caipira, escrita em dupla com o parceiro de empreitada pela hidrovia. Deste giro, trouxe consigo o desejo de produzir um trabalho falando sobre e necessidade de cuidarmos dos nossos mananciais e lençóis d’água muito antes do alarde da crise do abastecimento que atualmente assola o país. Com este brado, ele revela o lado engajado do zootecnista que se formou em Botucatu e cultiva orquídeas, pedindo a palavra, ou melhor, pedindo par dar um recado inadiável “Eu senti que precisava fazer algo. Acho importante sensibilizar os ouvintes, não só para a poesia e para a música que a água pode nos inspirar, mas também para a importância de respeitar os nossos mananciais”, afirma. “Sabemos que somente pelo consumo responsável poderemos nutrir a vida dos rios e impactar menos seus cursos e nascentes”.

Em sua passagem pela Biblioteca Mário de Andrade, Cláudio Lacerda estará acompanhado por Daniel Franciscão (viola) e Leonardo Padovani (violino).

Os objetivos do projeto Imagens do Brasil Profundo, cuja primeira temporada ocorreu no ano passado, de acordo com Jair Marcatti é trazer à tona um país mais interior. Em 2015, o programa, ampliado em relação ao formato do ano anterior, passou a abranger vários aspectos das diversas culturas regionais do Brasil, desvendados em diferentes shows, bate-papos musicais, debates e palestras que já receberam entre outros neste ano Katya Teixeira e Cássia Maria, Paulo Freire, Benjamin Taubkin, Luiz Salgado, Galileu Garcia Júnior, Paulo Dias, Ivan Vilela, José Miguel Wisnick e João Arruda. Quinzenalmente e sempre às quartas-feiras, a partir das 20 horas, e com entrada franca, o projeto neste ano têm ainda programados Consuelo de Paula, Trio José, Renata Mattar, Jean e Joana Garfunkel e o trio Conversa Ribeira.

Serviço:

Imagens do Brasil Profundo recebe Cláudio Lacerda (com Daniel Franciscão e Leonardo Padovani)

Data: quarta-feira, 16 de setembro
Horário: 20 horas
Local: Auditório da Biblioteca Mário de Andrade
Rua da Consolação, 94, São Paulo, a 500 m da estação Anhangabaú da linha Vermelha do Metrô
Entrada franca

10891808_376819919178289_1326467974373455637_n

Depois de Avaré e Botucatu, alô São Carlos (SP): o 4 Cantos estará no Teatro do Sesc, em junho!

4 Cantos Botucatu 3
Os músicos do projeto cultural 4 Cantos reuniram um animado público, superior a 350 pessoas, e lotou o Cine Teatro Nelli, em Botucatu, em noite para ficar na memória da cidade e para a plateia que por quase duas horas ouviu belas canções do repertório de Rodrigo Zanc, Wilson Teixeira, Cláudio Lacerda e Luiz Salgado (Foto: Marcelino Lima)

A noite foi de gala para os músicos do projeto cultural 4 Cantos em Botucatu, no sábado, 25 de abril. Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira,  mais uma vez acompanhados por Bruno Bernini (bateria) e Ricieri Nascimento (baixo e vocal) contaram com casa cheia e tomados praticamente os 380 assentos do Cine Teatro Nelli para vê-los encerrar com um show de animada interação com a plateia a mini-turnê que promoveram por aquele município e pela vizinha Avaré — onde, na véspera, já tinham arrebatado o público com um repertório de canções autorais, nas Oficinas Culturais (antigo CAC). Os dois municípios ficam no interior de São Paulo e estão entre os que mais apoiam e preservam manifestações culturais ligadas às várias formas de expressão popular. Em ambos, o quarteto também promoveu prosas-shows e concedeu entrevista à emissora 103,5 FM, de Avaré. Para os fãs e muitos amigos que deixaram o Cine Teatro Nelli com água na boca e querendo mais, o grupo anuncia a boa notícia: em  25 de junho, a partir de 20 horas, haverá nova cantoria, desta vez no teatro do SESC São Carlos! 

4444
Luiz Salgado, Cláudio Lacerda, Wilson Teixeira e Rodrigo Zanc: plateia presente em Botucatu voltou para casa de alma lavada e pedindo bis para a apresentação memorável do 4 Cantos (Foto: Adriano Rosa/Campinas)

 

Continue Lendo “Depois de Avaré e Botucatu, alô São Carlos (SP): o 4 Cantos estará no Teatro do Sesc, em junho!”

Alô, Avaré e região: hoje tem 4 Cantos nas Oficinas Culturais do antigo CAC!

_MG_4417
 Zanc (de chapéu),Teixeira, Lacerda, e Salgado: mais do que oferecer ao público uma oportunidade para rotulá-los, algo que a indústria fonográfica e a crítica ainda não conseguiram, buscam, como “quatro rios que se encontram, misturando suas águas”, junto da plateia, somar “suas alegrias” e compartilhar “suas mágoas” (Foto: Nalu Fernandes/Araraquara)

É hoje, Avaré e região, chegou o dia do show do projeto cultural 4 Cantos! Formado em 2011 pelos violeiros Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira, o quarteto estará no palco das Oficinas Culturais (antigo CAC, na Rua Rio de Janeiro, 1763 , Centro) a partir das 20 horas! E amanhã, 25, a cantoria será em Botucatu, a partir do mesmo horário, no Cine Teatro Nelli. Os dois municípios ficam na mesma região do Interior de São Paulo e estão entre os que mais apoiam e preservam manifestações culturais, ligadas às várias formas de expressão popular. A entrada, nas duas noites, é franca! 

Continue Lendo “Alô, Avaré e região: hoje tem 4 Cantos nas Oficinas Culturais do antigo CAC!”

Músicos do 4 Cantos iniciam nova turnê com entrevista e prosas-show em Botucatu

Entrevista
Entrevista à emissora 103,5, de Botucatu com Cláudio Lacerda, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira em destaque (Foto: Adriano Rosa)

O quarteto que forma o projeto cultural  4 Cantos iniciou na quarta-feira, 22, as rodadas de prosas-shows em Botucatu e Avaré que antecedem as apresentações nas duas cidades, marcadas para a sexta-feira, 24, e o sábado, 25. Os dois municípios ficam no interior de São Paulo e estão entre os que mais apoiam e preservam manifestações culturais ligadas às várias formas de expressão popular.

Os músicos Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira conversaram, primeiro, com o público do Espaço Cultural Antônio Gabriel Marão, no Centro de Botucatu. Depois, seguiram para a Afrape (Associação Fraternal Pelicano), na Vila Ferroviária. Eles também concederam entrevista à  Rádio Clube 103,5 FM.

A agenda de hoje, 23, indica prosas-show  na Escola Estadual Matilde Vieira, fechada para os alunos (15 horas), e nas Oficinas Culturais José Reis Filho (20 horas), situada na rua Rua Rio de Janeiro, 1763, Centro de Avaré

Prosa 1
Prosa-show na Afrape completa o primeiro dia da agenda de Rodrigo Zanc (boné vermelho), Wilson Teixeira, Cláudio Lacerda e Luiz Salgado (Foto: Adriano Rosa)

Continue Lendo “Músicos do 4 Cantos iniciam nova turnê com entrevista e prosas-show em Botucatu”

Músicos do 4 Cantos voltam à estrada com mini-turnê por Avaré e Botucatu, em São Paulo

_MG_4417
 Zanc (de chapéu),Teixeira, Lacerda, e Salgado: mais do que oferecer ao público uma oportunidade para rotulá-los, algo que a indústria fonográfica e a crítica ainda não conseguiram, buscam, como “quatro rios que se encontram, misturando suas águas”, junto da plateia, somar “suas alegrias” e compartilhar “suas mágoas” (Foto: Nalu Fernandes/Araraquara)

Com Rodrigo Brandão/Rebeca Propaganda

Formado em 2011 pelos violeiros Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira, o grupo do projeto cultural 4 Cantos se apresentará nas Oficinas Culturais (antigo CAC) em Avaré, no dia 24, e no Cine Teatro Nelli em Botucatu, no dia 25, ambos com entrada gratuita. Os dois municípios ficam no interior de São Paulo e estão entre os que mais apoiam e preservam manifestações culturais, ligadas às várias formas de expressão popular. 

Continue Lendo “Músicos do 4 Cantos voltam à estrada com mini-turnê por Avaré e Botucatu, em São Paulo”

Músicos do 4 Cantos voltam à estrada com mini-turnê por Avaré e Botucatu, em São Paulo

_MG_4417
 Zanc (de chapéu),Teixeira, Lacerda, e Salgado: mais do que oferecer ao público uma oportunidade para rotulá-los, algo que a indústria fonográfica e a crítica ainda não conseguiram, buscam, como “quatro rios que se encontram, misturando suas águas”, junto da plateia, somar “suas alegrias” e compartilhar “suas mágoas” (Foto: Nalu Fernandes/Araraquara)

Com Rodrigo Brandão/Rebeca Propaganda

Formado em 2011 pelos violeiros Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira, o grupo do projeto cultural 4 Cantos se apresentará nas Oficinas Culturais (antigo CAC) em Avaré, no dia 24, e no Cine Teatro Nelli em Botucatu, no dia 25, ambos com entrada gratuita. Os dois municípios ficam no interior de São Paulo e estão entre os que mais apoiam e preservam manifestações culturais, ligadas às várias formas de expressão popular. 

Continue Lendo “Músicos do 4 Cantos voltam à estrada com mini-turnê por Avaré e Botucatu, em São Paulo”