1363 – Ricardo Vignini (SP), 30 anos de estrada, recebe convidados em seis apresentações virtuais*

#MúsicaDeViola #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #Rock #MPB #CulturaPopular

Violeiro paulistano vai se apresentar entre 20/3 e 4/4 e abre vaquinha eletrônica para álbum triplo, reunindo discos lançados em 2020, e livro

* Com Graciela Binaghi

O violeiro, compositor e produtor musical Ricardo Vignini chegou aos 30 anos de carreira e para celebrar a marca promoverá em seis apresentações virtuais o Projeto Reviola, contemplado pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, por meio da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e do Ministério do Turismo do Governo Federal. Os concertos começarão sempre às 18 horas, com rodadas aos sábados e aos domingos, entre 20 de março e 4 de abril, com transmissão pelo canal de Vignini. Entre os convidados, ele receberá Adriana Farias e Alzira E; Socorro Lira e Uli; e Zé Geraldo e Tuia. Fernando Nunes (baixo) e Ricardo Berti (bateria) também estarão no palco.

Continue Lendo “1363 – Ricardo Vignini (SP), 30 anos de estrada, recebe convidados em seis apresentações virtuais*”

1359 – Lili Carabina inspira banda potiguar Derrame Verbal em Bang, Bang!, mais uma novidade da Frika Records*

#MúsicaPotiguar #MúsicaBrasileira #MúsicaIndependente #Punk #HorrorPunk #HeavyMetal #CulturaPopular #NatalRN

*Com Franco Mathson

Quarteto expoente do punk horror, liderado por um artista plástico e professor da rede pública, faz músicas nas quais mistura ocorrências funestas e violentas, pitadas de humor e histórias narradas pela mãe do vocalista, formador do grupo em 2014

A banda potiguar Derrame Verbal está lançando nas plataformas digitais, com apoio da Frika Records, Bang Bang!, novo trabalho em que histórias funestas do cotidiano são apresentadas equilibrando pitadas de horror, alusão a fatos violentos e humor, por meio de composições nas quais predominam gêneros como punk horror e o heavy metal. Entre as quatro faixas do epê o grupo faz referências a Lili Carabina (assaltante de bancos que fez fama nos anos 1970 e 1980), crítica o excesso do uso da tecnologia em Macumba Digital (com participação da conterrânea Thazya Regina),  e apresenta, ainda Boa noite Cinderela e Amigo inimigo meu.

Continue Lendo “1359 – Lili Carabina inspira banda potiguar Derrame Verbal em Bang, Bang!, mais uma novidade da Frika Records*”

1358 – Maria Pérola (PE/SP) relembra sucessos de Belchior em primeira de seis apresentações temáticas virtuais

#MPB #Recife #MúsicaIndependente #CulturaPopular


Jovem cantora do Recife vai destacar vários grandes compositores brasileiros e fechará o projeto com canções de sua própria autoria patrocinada por iniciativa da Lei Aldir Blanc

A cantora, violonista e compositora pernambucana de Jaboatão dos Guararapes radicada em São Paulo Maria Pérola, festejada com uma promessa na Nova MPB, fará a partir desta sexta-feira, 26, com início marcado para as 20 horas, seis apresentações virtuais (lives) em seu canal @amariaperola, por meio de edital da Lei Aldir Blanc, nas quais prestará homenagens a nomes importantes da MPB. A lista dos tributos começará com Belchior (CE) e contempla, ainda, Caetano Veloso (BA), Alceu Valença (PE), Zé Ramalho (BA) e Cartola (RJ), todos seus influenciadores; ao encerramento do projeto, Pérola mostrará somente composições próprias que amigos e admiradores já conhecem de sua trajetória e certamente estarão no primeiro trabalho da jovem estrela, previsto para o segundo semestre deste ano. Nas seis ocasiões, Pérola estará acompanhada por Jéssica Toniatti (percussão) e Débora Christian (baixo).

Continue Lendo “1358 – Maria Pérola (PE/SP) relembra sucessos de Belchior em primeira de seis apresentações temáticas virtuais”

1357 – Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo (SP) destacam em apresentações online “Contos de beira d’água”*

#Rabeca #MúsicaNordestina #MúsicaBrasileira #CulturaPopular

*Com Tambores Comunicações

As tradicionais audições matinais aos sábados, aqui no cafofo do Barulho d’água Música, em São Roque (SP), começaram no dia 20 de janeiro com Contos de beira d’água, álbum gravado em 2017 e que tem distribuição pela Tratore, de Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo. O grupo paulista, na estrada desde 2014, vai protagonizar várias apresentações virtuais ao vivo (as chamadas “lives”) dentro do projeto Rabecada a partir de hoje e até 20 de março, sempre aos sábados e aos domingos, conforme agenda publicada ao final desta atualização, com apoio e divulgação da Tambores Comunicações. Para assisti-los, basta entrar no canal do grupo cujo endereço é https://www.youtube.com/c/FilpoRibeiroeaFeiradoRolo.

Continue Lendo “1357 – Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo (SP) destacam em apresentações online “Contos de beira d’água”*”

1355- Livro “Orixás no terreiro sagrado do samba” é ótima dica para amenizar quarentena sem folia

#Carnaval #Samba #FestasPopulares #CulturaPopular #Religião #Umbanda #Candomblé #África #Vai-Vai

Claudia Alexandre traz um “olhar desfragmentado” sobre a presença das tradições de matrizes africanas em expressões culturais que ajudam a construir o que chamamos de identidade nacional

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) está impedindo a realização de desfiles de escolas de samba e de blocos de ruas. Afora o comportamento irresponsável de poucos que ainda insistem em muvucar durante o período de folia — contrariando de forma preocupante as recomendações das autoridades sanitárias e projetando um crescimento do número de internações e óbitos provocados pela doença dentro de algumas semanas — mais a iniciativa da Vênus Platinada de reprisar desfiles antigos, quase não se sente o ambiente e o clima que contagiam Momo e seus seguidores neste período que deveria ser de congraçamento e festa populares. Ficar em casa segue sendo uma das medidas restritivas mais indicadas, logo, uma boa maneira de passar bem pela quarentena, para aqueles que a seguem, é ler. E uma boa sugestão que casa bem com o momento em que a fantasia, os confetes e a serpentina devem ficar guardados, é Orixás no terreiro sagrado do samba -Exu e Ogum no Candomblé da Vai-Vai, que a Editora Griot lançou no ano passado, escrito por Claudia Alexandre.

Continue Lendo “1355- Livro “Orixás no terreiro sagrado do samba” é ótima dica para amenizar quarentena sem folia”

1348 – Burro Morto, Zabé da Loca, Jackson Envenenado, Flávio José: conheça, ouça e curta conterrâneos de Genival Lacerda no blogue Música da Paraíba

Álbuns de ritmos e gêneros tradicionalmente nordestinos ou resultantes de fusões aparentemente incongruentes  compõem o  eclético cardápio de músicos e  de grupos conterrâneos de Zé Ramalho, Chico César e Socorro Lira disponíveis para serem baixados na faixa

“Nós somos irmãos por afinidade/já que a humanidade ergueu-se do pó/a mãe Natureza não tem preconceito/nem separa o peito para um filho só…” Otacílio Batista

A Covid-19 levou, recentemente, Genival Lacerda, um dos ícones da nossa cultura popular, que deixou como legado uma copiosa obra de valorização de ritmos nordestinos como o forró, o xote e o coco.

O Rei da Munganga conquistou várias gerações e sua majestade de quase sete décadas se espraiou para além do Nordeste a partir de sua cidade natal, Campina Grande (PB), contagiando o Brasil inteiro. Seu legado, certamente, ainda terá força e representatividade por muitos mais anos; o mercado comercial da música pode, logo menos, até começar a interferir e se mexer para que seja imposto ao gosto popular um novo ídolo, à feição do mainstream, contudo, assim como as contribuições de Luiz Gonzaga e outros nordestinos, será muito difícil, mesmo que a indústria do entretenimento force a barra, desidratar a marca do criador de Severina Xique Xique e todo o conteúdo cultural que seu nome carrega!

Mas, por outro lado, a internet tem amantes e críticos e tanto pode entrar na roda para promover, quanto para denegrir e esvaziar talentos, ajustando seus holofotes para incensar A ou B segundo conveniências de emissoras, mídias e empresas do mercado fonográfico. Vendo pelo lado bom, trata-se uma ferramenta capaz de integrar e ampliar boas ofertas de entretenimento e trabalhos culturais dos mais interessantes, reduzindo por meio do compartilhamento as distâncias e tornando mais democrático o contato entre o artista e os fãs, ajudando a formar novos públicos; fazendo aquilo que o Sr.Brasil, Rolando Brasil, chama de “tirar o Brasil da gaveta”. E os blogues cumprem bem este papel à medida a qual seus idealizadores e mantenedores (geralmente idealistas e um pouco desparafusados) se esforçam para garimpar e trazer à luz obras escondidas ou esquecidas pelo Brasil profundo à dentro.

Continue Lendo “1348 – Burro Morto, Zabé da Loca, Jackson Envenenado, Flávio José: conheça, ouça e curta conterrâneos de Genival Lacerda no blogue Música da Paraíba”

1347 – Disco Antonio Brasileiro abre segunda temporada de programa que homenageia Tom Jobim

#MPB #TomJobim #CulturaPopular #BossaNova

“Longa é a arte, tão breve é a vida…”

Último álbum do maestro carioca ilustrou reestreia do projeto que Fábio Caramuru e Babu Baia levam ao ar, todas as sextas-feiras, na paulistana Rádio Cultura FM

As tradicionais audições aos sábados pela manhã aqui no cafofo do Barulho d’água Música começaram hoje, 16 de janeiro do verão do pandêmico 2021, em São Roque (SP), pelo disco Antonio Brasileiro– álbum lançado três dias depois da passagem do autor, o saudoso Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, maestro Tom Jobim, a 11 de dezembro de 1994. O também compositor, pianista, cantor, arranjador e violonista carioca morrera dia 8, curiosamente na mesma cidade dos Estados Unidos da América, Nova Iorque, e data do assassinato do beatle John Lennon, 14 anos antes. Bem fora do combinado e prestes a completar 68 anos, Jobim sofreu duas paradas cardíacas após uma cirurgia na bexiga. Ainda em vida, ele já era considerado o maior expoente de todos os tempos da música popular brasileira na avaliação da revista Rolling Stone, com contribuições como a criação do movimento da Bossa Nova ao lado de Vinícius de Moraes e de João Gilberto, entre outros.

Continue Lendo “1347 – Disco Antonio Brasileiro abre segunda temporada de programa que homenageia Tom Jobim”

1346- Grupo Cor das Cordas (SP) relança pela Kuarup seu trabalho de estreia

#MúsicaInstrumental #MPB #ViolãoBrasileiro

Disco Cor Das Cordas passeia por canções autorais e clássicos da MPB com a participação especial do músico Edmundo Carneiro

O grupo Cor das Cordas está relançando Cor das Cordas, título homônimo do álbum de estreia do trio de violonistas Edinho Godoy, Luca Bulgarini e Milton Daud, lançado originalmente em 2010 e agora reeditado com exclusividade para as plataformas digitais pela Produtora e Gravadora Kuarup. O trabalho apresenta uma refinada releitura de grandes clássicos da música brasileira, incluindo obras de compositores como Edu Lobo, Milton Nascimento e Djavan, além de composições do próprio trio. Os arranjos foram elaborados especialmente para a formação de três violões, com grande variação de ritmo, harmonia e melodia, o que possibilitou um inusitado resultado de criatividade, sofisticação, sensibilidade e bom gosto.

Continue Lendo “1346- Grupo Cor das Cordas (SP) relança pela Kuarup seu trabalho de estreia”

1340 – Versão física do novo disco de Cássio Gava registra parceria inédita com Aldir Blanc

#MPB #MúsicaIndependente #CulturaPopular

Quatro Paredes, quarto álbum do cantor, compositor e arranjador paulistano, produzido como mote ao isolamento social , registra criações desde o inicio da carreira do autor e traz participações de Cida Moreira, Mário Mountaut,  Márcia Salomão, Chico César, Zeca Baleiro e Luiz Tati

Quatro Paredes, quarto álbum do cantor e compositor paulistano Cássio Gava, com 11 faixas, já está disponível nas melhores plataformas digitais, mas vale a pena procurar a versão física em lojas líderes do segmento, pois o cedê ganhou uma trilha bônus que é a mais brilhante joia desta coroa que reúne entre suas turmalinas e turquesas canções compostas pelo autor e com parceiros notáveis desde o início da carreira: Árias Para Folha De Fícus, rubi que tem a participação de Márcia Salomon e letra de Aldir Blanc. Chico César, Zeca Baleiro e Luiz Tatit, entre outros, também aparecem no disco e dão ainda mais nobreza ao trabalho no qual o autor procurou sintetizar a canção como pretexto para o entretenimento a ser recorrido na situação sanitária difícil na qual nos encontramos, referindo-se à pandemia da Covid-19, moléstia que privou as pessoas do convívio social, obrigando-nos ao distanciamento social e ao isolamento doméstico, dentro das quatro paredes de nossas casas, dai o nome do álbum.

Continue Lendo “1340 – Versão física do novo disco de Cássio Gava registra parceria inédita com Aldir Blanc”