1161 – Último disco gravado por Tavito, do selo Kuarup, traz releituras de clássicos como Rua Ramalhete e Casa no campo

Cantor e compositor nascido em Beagá, ex-integrante do Clube da Esquina e do Som Imaginário, gravou clássicos do rock rural com Guarabyra, Tuia, Ricardo Vignini e Zé Geraldo em álbum lançado no Sesc Pinheiros

Dez dias antes de Tavito partir cumprindo o ciclo natural de toda a vida, mas deixar no peito de familiares, amigos, parceiros e fãs o buraco que a saudade sempre provoca — e, no caso dele, um vazio que não tem como ser preenchido no universo da cultura, em um período no qual, sobretudo no segmento da música, grassam porcarias –, a unidade Pinheiros do Sesc, em São Paulo, promoveu na noite de 17 de fevereiro o lançamento de Nós do Rock Rural – Encontro de Gerações. O álbum gravado pela Kuarup e lançado há dias no palco do Teatro Paulo Autran é resultado de outra apresentação, ao vivo,  que fora captada um ano antes. Naquela ocasião, Tavito, Guarabyra, Zé Geraldo, Tuia e Ricardo Vignini protagonizavam mais um show do projeto homônimo que, para a noite de festa no Sesc Pinheiros, já infelizmente sem ele, contou ainda com a participação do guitarrista Fábio Santini.

Continue Lendo “1161 – Último disco gravado por Tavito, do selo Kuarup, traz releituras de clássicos como Rua Ramalhete e Casa no campo”

Anúncios

1093 – Francesa Fabianne Magnant promove workshop e toca viola caipira em Curitiba (PR)

Repertório da compositora e intérprete passeia desde as feiras populares do Nordeste brasileiro aos elegantes concertos eruditos de casas europeias , passando por tradições ibérico-mouriscas e manifestações africanas
Marcelino Lima

A violonista e violeira francesa Fabienne Magnant, em turnê pelo Brasil, após passar pelas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, será atração em Curitiba neste sábado, 11 de agosto. Fabienne, primeiro, protagonizará das 14 às 17 horas um workshop durante o qual falará sobre suas formação musical e influências, seu encontro com a viola e também ministrará conselhos técnicos, mas apenas para previamente inscritos; mais tarde, a partir das 20 horas, promoverá para o público em geral um concerto solo. Ambos os eventos serão oferecidos pelo Sesc da Esquina, respectivamente no auditório e no teatro daquela unidade, com apoio de Fernando Deghi (Violeiro Andante) e Claudio Avanso (Viola & Cantoria).

Continue Lendo “1093 – Francesa Fabianne Magnant promove workshop e toca viola caipira em Curitiba (PR)”

635 – Recomendação do Barulho d’água: Comum de Dois, de Toninho Ferraguti e Marco Pereira, da Borandá

marco  toninho

O violão e o acordeon, dois instrumentos dos mais populares do Brasil, ao longo da história musical foram marcantes na formação de gêneros e de estilos, e ainda hoje continuam presentes de Norte a Sul do país. Marco Pereira e Toninho Ferragutti, dois dos principais representantes desses instrumentos, uniram se e provaram que, em dueto, o pinho e o fole permitem uma rica experiência artística. O resultado do encontro pode ser curtido em Comum de Dois, álbum com nove faixas lançado com o selo da gravadora Borandá. 

Continue Lendo “635 – Recomendação do Barulho d’água: Comum de Dois, de Toninho Ferraguti e Marco Pereira, da Borandá”

Vicente Barreto (BA) volta a gravar após uma década e lança Cambaco, com participações da nova vanguarda paulistana

Após um hiato de 10 anos sem gravar, o músico Vicente Barreto (Salgadália/Conceição do Coité, BA) lançará neste dia 28 de junho Cambaco, trabalho no qual se apresentará  (muito bem) acompanhado por amigos da turma da nova cena paulistana. Cambaco, em dialeto moçambicano changana, significa elefante velho e sábio (um sonho de todos os caçadores!) que, segundo a lenda, isola-se para morrer sozinho. Reinventando-se cambaco, Vicente Barreto ressurge em dez canções e um tema instrumental invertendo a sina, e trai a lenda: ao contrário de se isolar, prefere a sorte de novos encontros e, no coletivo, a troca de saberes com novos amigos.  “Agora tenho um disco que me emociona, então quero fazer esse disco”, afirmou Vicente Barreto. “Só faço se me emocionar. Prefiro fazer poucos discos, mas que tenham o que dizer, que eu tenha o que dizer. Fazer música por fazer música eu não gosto.”
cambco 3
O disco será inicialmente lançado online neste dia 28, antes de ser disponibilizado em versão física. Décimo primeiro trabalho de Vicente Barreto, no time de Cambaco estão Manu Maltez, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes, Rodrigo Campos e do filho do autor, Rafa Barreto. Marcelo Cabral assinou a produção e toca baixo (acústico e elétrico),  Vicente Barreto empunha o violão. Com as guitarras de Rodrigo Campos,  e a bateria confiada a Serginho Machado, os fãs e amigos do baiano ainda poderão curtir as participações de Juçara Marçal e Thiago França.

Vicente Barreto é parceiro de grandes nomes da música popular brasileira, entre eles, Vinícius de Morais, Gonzaguinha, Hermínio Bello de Carvalho, Elton Medeiros, Tom Zé, Paulo César Pinheiro, Alceu Valença e, mais recentemente, Paulinho Pedra Azul e Chico César. Consagrado no meio da música pelo seu disco Mão Direita, Vicente é compositor de canções como Tropicana e As Voltas que o Mundo Dá e já foi interpretado por cantoras como Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Juçara Marçal e Mônica Salmaso.

Copie e cole o linque abaixo, ouça no Soundcloud a faixa título do álbum Cambaco e saiba mais sobre Vicente Barreto.

Cópia_de_segurança_de_Figura1
Vicente Barreto já lançou dez discos e é compositor de canções como Tropicana e As Voltas que o Mundo Dá; cantores como Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Juçara Marçal e Mônica Salmaso já interpretaram suas músicas (Foto: José Holanda)

moinhoe