1222 – Wilson Dias e Pereira da Viola relançam “Pote- A Melodia do Chão”, com poemas de João Evangelista Rodrigues, em Beagá (MG)

Rústico e refinado, disco produzido a partir de poemas de João Evangelista Rodrigues é um encontro de três mananciais que expressam com sensibilidade a alma sertaneja que temos, apesar dos avanços da urbanidade e da desconstrução das tradições populares

As tradicionais audições matinais que promovemos aos sábados aqui no boteco do Barulho d’água Música, em São Roque, aprazível cidade do Interior de São Paulo, começaram com o disco Pote – A Melodia do Chão, que o cantor e compositor mineiro Wilson Dias lançou em  outubro de 2010 em parceria com o conterrâneo Pereira da Viola, ambos violeiros, com distribuição pela  Sonhos e Sons, O disco é todo baseado em poemas do poeta das Alterosas e companheiro dos músicos, jornalista João Evangelista Rodrigues, e por ser tão apreciado pelos fãs e amigos do trio motivou um concerto de relançamento que a Picuá Produções programou para esta quarta-feira, 21 de agosto, a partir das 20 horas, no concorrido palco do Grande Teatro do Sesc Palladium, situado em Belo Horizonte (MG).

O texto de divulgação do show destaca que os três mineiros provêm de águas fortes e confluentes que brotaram, respectivamente, nos Vales do Mucuri, do Jequitinhonha e do São Francisco. As gravações começaram há dez anos e depois de gravado Pote é um projeto que continua florindo nos caminhos dos amantes da boa música de viola. No Palladium, a década será brindada com inigualáveis sabores daquelas poéticas águas sonoras, trazendo um convite para quem experimentou voltar a se deliciar à fartura e àqueles que ainda não os sabem saciar a sede. Como bons sertanejos que somos, te esperamos com água fresquinha no ‘Pote’”, disse Wilson Dias. Com seu humor e bom astral habitual, Pereira da Viola complementou: “Vai ser uma alegria astronômica, uma incelente maravilha que, se melhorar, vira rapadura!”

O CD  Pote pode ser definido como contemporâneo e primitivo. Rústico e refinado. Feito a mão. Modelado pela sensibilidade da palavra e conduzido pelo fio mágico dos acordes da viola. O Pote emerge da imaginação, dá asas ao sentimento e vivifica as coisas e objetos perdidos e ou esquecidos no sertão. O mesmo infinito e indefinido sertão de João Guimarães Rosa a um tempo íntimo, concreto e transcendental. Um sertão que todos somos ainda apesar das urbanidades e desurbanidades contemporâneas.

Em todas suas dimensões de utensílio, de arte, o pote é sagrado pelos segredos que contém e revela, por suas qualidades pictóricas. Um pote pode servir de sepultura, de túmulo, e isto só aumenta e valoriza seu potencial significativo. Sua transcendência. Em nada diminui, portanto, a magia de sua beleza. Quando animado pela poesia e pela música cria asas, canta e voa a feito de pássaro entre montanhas mineiramente latinas.

O disco é uma homenagem à palavra poética pela valorização da letra no processo de composição musical. É também um reconhecimento do trabalho de criação do poeta João Evangelista que, além da música, utiliza-se de várias linguagens e campos de conhecimento para expressão como filosofia, jornalismo, literatura e fotografia. Foi a intenção de destacar o papel da letra na construção da canção que orientou todas as etapas de produção do álbum, desde a composição, passando pelos arranjos, processo de gravação, interpretação, mixagem e concepção gráfica do encarte. É por isso que ao manusear e ouvi-lo pode-se perceber com todos os sentidos a intensidade e o sabor de cada palavra, de cada imagem, sua textura e visualidade.

Wilson Dias, João Evangelista e Pereira da Viola em uma das páginas do encarte

Pote é um verdadeiro cinema sonoro onde a música feita na viola revela as tonalidades de cada história. A palavra cantada torna-se palavra encantada. Música necessária e mágica, fruto de um encontro espiritual e artístico entre os três compositores. Uma trindade que só vem enriquecer a música feita na viola caipira, em Minas Gerais, instrumento que é patrimônio cultural imaterial do Estado. Por isso mesmo, está cada vez mais valorizada no complexo cenário musical brasileiro da atualidade e ganha uma nova aliada: a poesia que se mistura, de maneira equilibrada e harmônica, com o timbre e com a autêntica sonoridade do instrumento. Assim, tanto do ponto de vista temático, quanto musical e poético, pode-se dizer que há uma verdadeira sintonia criativa e estética.

A melodia do chão

 Pote, assim como o show, é marcante. Pode ser entendido como uma metáfora da condição do homem no mundo contemporâneo. Uma evocação do ambiente do mineiro a partir de uma visão crítica. Cercado de simbologia, um objeto real e mítico, que reflete a arte, a cultura, os valores, a religiosidade e as contradições da mineiridade. O pote guarda a água, símbolo da vida, ecoa a essência, marca o lugar e a passagem para o imaginário. Para um mundo real onde a poesia e a música, o sorriso e o diálogo, a prosa e a viola ainda são possíveis.

O Sesc Palladium fica na Avenida Augusto de Lima, 420 – Centro, Belo Horizonte. Para mais informações há o telefone  (31) 3270-8100

Ficha Técnica do espetáculo:

Pereira da Viola e Wilson Dias (voz e viola caipira e violão)/Wallace Gomes Pedro Gomes e Dito Rodrigues (violões)/ Gladson Braga (percussão)/ Daniel Guedes (percussionista)/ Técnico de som: Marcos Vinícios e Alan/ Técnico de luz: Túlio

Informações: Ingressos: Venda na bilheteria do teatro

Inteira: R$30,00/Meia: R$15,00 (Estudante, idoso, menor carente, menor de 21 anos, deficiente)

https://www.ingressorapido.com.br

Produção – Nilce Gomes/Telefone (31) 98515-7122 email:picuaproducoes@gmail.com

Assessoria de Imprensa:  Lilian Macedo/ Telefone (31) 99600-0651

Saibam mais a respeito e leiam outros conteúdos sobre Pereira da Viola e Wilson Dias no Barulho d’água Música clicando nos linques abaixo!

https://barulhodeagua.com/tag/wilson-dias/

https://barulhodeagua.com/tag/pereira-da-viola/

1199 – Sesc de Osasco (SP) abre com o mineiro Wilson Dias o projeto Ponteios de Viola

Apresentações de músicos que têm o instrumento como essência em sua trajetória musical, com entradas gratuitas, serão promovidas no Deck da Cafeteria ao longo dos sábados de junho, a partir das 15 horas

A unidade Osasco do Sesc do estado de São Paulo promoverá ao longo dos sábados de junho o projeto Ponteios de Viola. que terá como atrações em quatro datas músicos que têm a viola como essência em sua trajetória musical. Os convidados brindarão o público com apresentações gratuitas no Deck da Cafeteria sempre a partir das 15 horas com repertórios e causos que traduzem a história em torno deste instrumento tradicional. O primeiro violeiro, Wilson Dias (MG), estará no palco neste dia 8. Uma semana depois, no dia 15, será a vez de Cláudio Lacerda e Rodrigo Zanc. Em 22 de junho, Paulo Freire e Danilo Morais e, no encerramento, no dia 29, a cantoria será comandada pelo trio Conversa Ribeira. 

Continue Lendo “1199 – Sesc de Osasco (SP) abre com o mineiro Wilson Dias o projeto Ponteios de Viola”

1108 – Wilson Dias (MG) lança álbum duplo “Nativo”, sétima obra da carreira, com relatos de suas origens e heranças

“Dentro dos discos há muitos sentimentos de bem-querer envoltos em melodias e versos”, revela o autor que subirá ao palco do Sesc Palladium cercado de filhos, irmãos e amigos da carreira que já soma mais de duas décadas

Neste 16/9, as tradicionais audições dos sábados pela manhã aqui na redação do Barulho d’água Música começaram com Nativo — sétimo disco da obra do mineiro Wilson Dias, cantor e compositor natural de Olhos d’água e, atualmente, radicado em Belo Horizonte (MG). Com direção da Picuá Produções Artísticas, o álbum duplo (um disco cancioneiro, outro totalmente instrumental) será lançado na quarta-feira, 19 de setembro, no Grande Teatro do Sesc Palladium, a partir das 20h30, coroando a maturidade do violeiro de 55 anos que “sabe de sua própria existência, aprendeu a partir de si e para consigo mesmo”, confirmando o pensamento do português Boaventura de Sousa Santos, como bem observou a conterrânea de Dias, Déa Trancoso. Nativo é, portanto, um autorretrato, o relato de origens e de heranças — ou ainda conforme Déa Trancoso definiu no encarte do álbum a “cartografia de um preto velho” – que tem o cuidado de inclusive trazer na capa a única foto existente na família de Antônio de Jesus e Dona Terezinha Dias, os pais do autor.

Continue Lendo “1108 – Wilson Dias (MG) lança álbum duplo “Nativo”, sétima obra da carreira, com relatos de suas origens e heranças”

1057 – Wilson Dias recebe Padre Paulo Morais em Beagá (MG) para nova rodada do projeto Viola de Feira

Violeiro natural de Olhos d’água vai receber jovem talento das dez cordas no espaço onde a capital mineira promove a concorrida Feira Coberta, no Centro Cultural Padre Eustáquio

Marcelino Lima, com Nilce Gomes e Lilian Macedo

A Picuá Produções Artísticas, estabelecida em Belo Horizonte (MG), promoverá em 29 de abril a terceira rodada do projeto Viola de Feira, por meio do qual pretende fomentar e difundir a música de viola caipira oferecendo concertos mensais que transcorrerão no Centro Cultural Padre Eustáquio. Durante as apresentações, ponteado por dois ases do estado, o instrumento de dez cordas será a maior atração, sempre no último domingo de cada mês, a partir das 11 horas. Um violeiro anfitrião receberá outro, convidado, de forma que se possa estabelecer entre ambos e a plateia vínculos culturais, fomentando, ainda, diálogos com a música brasileira. A vez , agora, é de Wilson Dias, que compartilhará a honra com o Padre Paulo Morais.

Continue Lendo “1057 – Wilson Dias recebe Padre Paulo Morais em Beagá (MG) para nova rodada do projeto Viola de Feira”

833 – Dose dupla de música e prosa boas: Wilson Dias e o xará Teixeira cantam em Campinas e Capital para públicos do Sesc

Se uma apresentação regada a viola caipira costuma agradar, duas tendem a ser bem melhor, ainda mais se os repertórios dos protagonistas, ambos Wilson, puderem ser apreciados de graça. Sorte em dobro, portanto, reservada ao público do Sesc paulista, que poderá curtir no domingo, 20, o mineiro Wilson Dias, em Campinas, a partir das 10 horas, e o paulista Wilson Teixeira, na unidade Vila Mariana, em São Paulo, a partir das 16h30. Dois dos mais bem conceituados músicos das vertentes caipira e regional, o primeiro será atração do projeto que oferece, gratuitamente, um típico café de roça enquanto a plateia degusta canções temperadas com causos dos mais prosaicos. À tarde, com cardápio não menos saboroso, fãs e amigos do protagonista relembrarão clássicos de Tonico e Tinoco.

Continue Lendo “833 – Dose dupla de música e prosa boas: Wilson Dias e o xará Teixeira cantam em Campinas e Capital para públicos do Sesc”

696 – De volta a São Paulo, Wilson Dias (MG) canta sucessos da carreira e de “Lume” no Belenzinho

12010557_980548231986607_5410918351894407317_o
Wilson Dias cantará sucessos da carreira e do mais recente álbum, Lume (Fotos acima e no destaque, ao lado do título: Divulgação Picuá Produções)

O Barulho d’água Música mais uma vez convida amigos e seguidores a prestigiarem Wilson Dias, violeiro, cantor e compositor nascido em Olhos D’Água, no norte de Minas, encravada no Vale do Jequitinhonha,  e que de volta a São Paulo será atração neste domingo, 25, a partir das 18 horas, do Sesc Belenzinho, bairro da Zona Leste paulistana. Wilson Dias traz na bagagem a musicalidade e os ensinamentos da nossa cultura popular e conduz obra das mais belas enraigada em valores e tradições do Brasil profundo.  

Nesta cantoria em São Paulo Wilson Dias interpretará composições do recente álbum Lume,  que tem participações de Ná Ozzetti e Déa Trancoso e assina em parceria com o poetJoão Evangelista Rodrigues, além de outras canções da carreira. Estarão com Wilson Dias no palco do Sesc Belenzinho André Siqueira (violão/flugel/trompete/flauta); Pedro Gomes (baixo); Wallace Gomes  (violão/flauta); e Gladson Braga Braga (percussão/bateria).

O Sesc Belenzinho fica na rua Padre Adelino, 1.000, a menos de 1.000 metros das estações Belém e Tatuapé da Linha 3 Vermelha do Metrô e disponibiliza o telefone 11 2076-9700.

Fique por dentro da agenda de Wilson Dias até o final de 2015 e para mais informações contate www.picuaproducoes.com.br

31/10/2015 – Ações Socioculturais VivaViola, em Olhos D’água (MG), com Bilora Violeiro, Gustavo Guimarães, Pereira da Viola e Joaci Ornelas.
15/11/2015 – Sesc Rio
12/12/2015 – Águas Formosas (MG)
29/12/2015- Show Alma de Rio, com Gustavo Guimarães, no Teatro Santa Izabel (Diamantina-MG).

12020065_1198612026821561_613244569568622951_n

Poeta, fotógrafo, jornalista, compositor: hoje João Evangelista Rodrigues (MG) faz aniversário

evangelista
João Evangelista Rodrigues assina as poesias que viraram as faixas do álbum Pote: A Melodia do Chão, gravadas por Wilson Dias e por Pereira da Viola

O mineiro da cidade de Arcos que está comemorando mais um aniversário hoje, 4 de julho, não canta, e nem toca viola. Mas perguntem para os conterrâneos Pereira da Viola e Wilson Dias, por exemplo, de quem é boa parte das músicas com as quais eles nos encantam, entre as quais as faixas de Pote: A Melodia do Chão (2010) e a resposta virá em forma de mais pura poesia: João Evangelista Rodrigues.  Atualmente residindo em São Paulo, para onde se mudou há poucos meses, João Evangelista Rodrigues, além de compositor, é jornalista, fotógrafo, poeta e parceiro, também, de Paulinho Pedra Azul, Rubinho do Vale, e Téo Azevedo, Rodrigo Delage, entre outros. Ex-diretor do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, Evangelista compartilha muitas das suas belas imagens clicadas no dia a dia em páginas de mídias sociais e entre outros livros publicou O Avesso da Pedra, Mutação dos Barcos e A Oeste das Letras.  Ao mestre que tão bem se expressa não apenas com as palavras, mas também por meio de suas imagens clicadas pelas ruas, portanto, o Barulho d’água Música expressa sua admiração e envia apertado abraço e votos de sucesso!

Sobre o álbum Pote: A melodia do chão*

O trabalho que marca a parceria dos músicos Pereira da Viola e Wilson Dias com o poeta e jornalista João Evangelista Rodrigues pode ser entendido como uma metáfora da condição do homem no mundo contemporâneo, uma evocação do ambiente do mineiro a partir de uma visão crítica. O álbum é contemporâneo e primitivo, rústico e refinado, modelado pela sensibilidade da palavra e conduzido pelo fio mágico dos acordes da viola. O pote em si é cercado de simbologia, um objeto real e mítico que reflete a arte, a cultura, os valores, a religiosidade e as contradições da mineiridade. 

O trio de mineiros de águas fortes e confluentes, dos Vales do Mucuri, do Jequitinhonha e do São Francisco, tem raízes comuns no que diz respeito à cultura popular, ao sentimento de religiosidade e às convicções políticas, fundados na amizade e na defesa da cidadania.

João Evangelista, além da música, utiliza várias linguagens e campos de conhecimento para expressão como filosofia, jornalismo, literatura e fotografia. Destaca o papel da letra na construção da canção, orientando todas as etapas de produção do álbum: desde a composição, passando pelos arranjos, processo de gravação, interpretação, mixagem à concepção gráfica do encarte.

A viola, cada vez mais valorizada no complexo cenário musical brasileiro da atualidade, ganha uma nova aliada: a poesia, que se mistura de maneira equilibrada e harmônica com o timbre e com a autêntica sonoridade do instrumento. Assim, tanto do ponto de vista temático, quanto musical e poético, pode-se dizer que há uma verdadeira sintonia criativa e estética.

Ficha Técnica:
Pereira da Viola (voz, viola caipira, violão e rabeca); Wilson Dias: (voz e viola caipira e violão); André Siqueira: (direção musical, bandolim, guitarra e flauta); Wallace Gomes (violão); Pedro Gomes (contrabaixo); Dito Rodrigues (violão); Gladson Braga (percussão) e Carlinhos Ferreira (percussão)
*Da redação do site Curitiba Caixa, publicado em em 30/04/2012 – 13:04

Leia e curta abaixo poemas e fotos de João Evangelista Rodrigues

a folha espera o sono
enquanto brinca no ar
sonata de outono

10557704_10200579872054822_217972853471864921_o

poema (s/título)

    os de 45
                   declaram guerra
                       aos de 22
                     os concretos
                      atiram pedra
                    contra os de 45
                  todos atiram merda
                       contra todos
                        contra tudo
                      o que vem após
                        nem de longe
                    espiam pela janela
                      a lua parnasiana
                  o signo da poesia pisca
                       entre neon e nada
                   a mesma letra escrita
                   a mesma letra escusa
                   a mesma letra escassa
                    a mesma luta insana
                        clava tupiniquim
                          a roupa suja
                        o varal da esquina
                            o marketing
                             em sangue
                         marginal floresta
                        a luta não termina
                      entre mortos e feridos
                    seja o que o leitor quiser
                         ninguém se salva
                        salve-se quem puder

 10995806_10200568788177732_9039108280442839104_o

10492231_1009652292388008_6505229280822772954_n

Wilson Dias canta para Fernando Brant e recorda Cesaria Evora e Cora Coralina em projeto Música no Mercado (SP)

wdiasartemercado

O cantor e compositor Wilson Dias, mineiro de Olhos d’água residente em Beagá, fez na quinta-feira, 18,  homenagem das mais marcantes ao conterrâneo Fernando Brant, um dos baluartes do Clube da Esquina e dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos, que há uma semana morreu na capital mineira, vítima de complicações após uma intervenção cirúrgica para transplante de fígado, aos 68 anos. Em sua passagem por São Paulo convidado pela unidade Carmo do Sesc para se apresentar na praça do Mercado Municipal, na zona cerealista do Centro paulistano, Wilson Dias cantou Promessas do Sol, sucesso de Brant e  Milton Nascimento gravado por Bituca em Gerais.  

Continue Lendo “Wilson Dias canta para Fernando Brant e recorda Cesaria Evora e Cora Coralina em projeto Música no Mercado (SP)”

Almoce no Mercado Municipal de São Paulo ao som da viola do mineiro Wilson Dias (MG)

wilson dis arte mercado

O violeiro e compositor Wilson Dias estará nesta quinta-feira, 18, no Mercado Municipal de São Paulo, ponto turístico da Capital paulistana, como convidado do Sesc do Carmo para apresentar entre 13 e 14 horas as músicas do álbum Lume, o sexto de sua carreira. Neste e em outros de seus trabalhos, Wilson Dias  reforça uma característica que historicamente se verifica em Minas Gerais: o de ser um estado fértil e terra inesgotável da qual já brotaram nomes consagrados em vários setores da arte e da cultura.

Continue Lendo “Almoce no Mercado Municipal de São Paulo ao som da viola do mineiro Wilson Dias (MG)”

Teatro da Assembleia Legislativa de BH recebe violeiro Gustavo Guimarães (MG)

gustavo guimarães
Gustavo Guimarães traz em suas composições elementos do cerrado embalados por ritmos como folia de reis e congada, com uma saborosa pitada de folk (Foto: Marcelino Lima)

 

Gustavo Guimarães, violeiro cantor e compositor de Diamantina (MG), vai cantar músicas autorais e clássicos da viola caipira nesta sexta-feira, 20, no teatro da Assembleia Legislativa, em BH. A cantoria está prevista para começar às 19h30, com as participações de Pedro Gomes (baixo), Wallace Gomes (violão), e Eros Fresic (percussão). Maria Célia (voz), Dorinha (voz) e Carlos Máximo (violão) subirão ao palco como convidados.

Continue Lendo “Teatro da Assembleia Legislativa de BH recebe violeiro Gustavo Guimarães (MG)”