Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!


5 Comentários

988 – Por meio de 13 discos, Companhia Sons do Cerrado resgata ritmos e tradições de um dos mais ricos biomas do país

Bioma de 197 milhões de hectares comum aos estados Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Piauí, São Paulo e Tocantins, o Cerrado é a segunda mais produtiva extensão de terras do país, caracterizadas por árvores baixas, arbustos espaçados e gramíneas, também conhecidas por savanas brasileiras. Em algumas classificações científicas, esta imensa área é subdividida em cerradão, cerrado típico, campo cerrado, campo sujo de cerrado ou campo limpo, sendo que o cerradão é o único que apresenta formação florestal. Goiânia, uma das capitais onde ele ocorre, possui desde 2001 um grupo musical que se dedica ao estudo da identidade dos habitantes desse precioso sistema biogeográfico por meio de pesquisas, registros, publicações, oficinas e festivais, com o intuito de salvaguardar valores culturais  e de preservar elementos centrais da pesquisa sobre cultura popular — acrescentando na perspectiva da releitura/adaptação novos componentes, formando uma linguagem atrativa e moderna. O grupo é a Companhia Sons do Cerrado, criado no ambiente do Instituto do Trópico Subúmido da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás e composto por Andréa Luísa Teixeira (flauta, vocais, pesquisa), Alba Franco (cantora e pesquisadora), Verônica Aldè (flautas, flautin, vocais e pesquisas) e Vagner Rosafa (percussões, piano e pesquisas). A atriz Larissa Malty fez parte das pesquisas para o volume 13 e participou da gravação do DVD Ternos das Borboletas.

Veronica Aldè, Andréa Teixeira, Vagner Rosafa e Alba Franco (Foto: Weimer Carvalho)

Continuar lendo


Deixe um comentário

889 – Jean e Joana Garfunkel cantam e interpretam poemas de Mário de Andrade no Imagens do Brasil Profundo (SP)

Em nova rodada da terceira temporada do  Imagens do Brasil Profundo, o curador Jair Marcatti receberá nesta quarta-feira, 15 de junho, a partir das 20 horas, Jean e Joana Garfunkel. Pai e filha conduzirão a plateia por uma viagem pela obra do patrono do projeto, o poeta e escritor Mário de Andrade a partir do palco do auditório Rubens Borba de Moraes da da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. A ida pelo universo do modernista se dará por meio da declamação e interpretação de poemas como Eu sou trezentos e outros textos  consagrados do autor de Paulicéia Desvairada.

 

Jean e Joana Garfunkel juntos coordenam o projeto Canto Livro desde 2006. Ele é poeta, escritor. letrista e compositor com obras gravadas por intérpretes como Elis Regina, Zizi Possi, Margareth Menezes e Maria Rita – foi convidado a cantar num projeto dedicado a Guimarães Rosa por conta de sua pesquisa e visitas à cidade Morro da Garça, próxima à terra natal do escritor, Cordisburgo (MG). Paralelamente ao trabalho com o Canto Livro, Jean Garfunkel tem quatro discos gravados em dupla com o irmão Paul, mais 13 Pares e Um Fado Solitário, no qual homenageia treze parceiros com os quais vem traçando sua trajetória musical.  Joana Garfunkel é narradora de histórias e psicóloga, autora de uma pesquisa acadêmica premiada sobre a obra Grande Sertão: Veredas. Trabalha desde 2005 com música e literatura, apresentando-se ao lado de artistas como Tavinho Moura, Natan Marques, Grupo Miguilins e Emiliano Castro.

Mergulho no Brasil de dentro

Dedos de prosa, boa conversa, música, imagens, artesanato e cultura popular. Essa é a receita de Imagens do Brasil Profundo projeto que desde 2014 oferece ao público da Biblioteca Mário de Andrade shows, debates, bate papos musicais e ações para crianças sempre às quartas-feiras, com entrada franca sob a batuta do historiador e sociólogo Jair Marcatti. A ideia é mostrar e trazer à luz manifestações populares e objetos que revelam o Brasil por dentro, aquele país que nas palavras do mestre Ariano Suassuna vive escondido em rincões considerados profundos, mas é muito vivo. Ao invés de promover abordagens tradicionais, Marcatti prefere convidar músicos, documentaristas, diretores de cinema, ativistas culturais e pesquisadores da cultura popular que em comum nutrem um modo de olhar aprofundado e amplo sobre o país e trabalhos de pesquisa e resgate das nossas mais entranhadas tradições.

Com cada um dos participantes, Marcatti aborda aspectos do universo cultural e musical  brasileiro, de nossas trajetórias, continuidades e rupturas; daquilo que, sem nenhuma pretensão definidora, poderíamos chamar de identidades brasileiras, no plural, com a vantagem dos exemplos serem pontuados no calor da prosa, ao vivo, pelo som dos instrumentos, muitos artesanais, e pela apresentação de outras formas de expressão cultural.

A Biblioteca Mário de Andrade fica na Rua da Consolação, 94, entre as estações República e Anhangabaú da linha 3 Vermelha do Metrô e para mais informações disponibiliza o número de telefone 11 3775-0002.

anuncio 26a

 


Deixe um comentário

795 – Com concerto em Porto Alegre, Duo de Viola e Acordeon comemora dez anos de parceria

11149528_667081943437476_3935056832776481879_n

Rafael de Boni e Valdir Verona tocam juntos há dez anos e resgatam a utilização da viola caipira na música gaúcha e a força do acordeon como catalisador de influências das culturas regionais (Crédito: Divulgação do Duo de Viola e Acordeon)

O Duo de Viola e Acordeon, formado pelos músicos gaúchos Valdir Verona e Rafael de Boni, está completando dez anos de atividades e começará os festejos pela frutífera marca neste sábado, 23, como atração do 2º. Ecarta Musical de 2016, evento marcado para começar às 19 horas, com entrada franca, no palco da Fundação Ecarta, em Porto Alegre. Valdir Verona (viola e craviola de 8 cordas) e Rafael de Boni  (acordeon) apresentarão ao público repertório instrumental baseado nos álbuns autorais Encontro das Águas (2007) e Parceria nº 2 (2014), além do DVD ao vivo lançado em 2015, trabalho que contou com a participação de Yamandu Costa. As composições selecionadas buscam resgatar o uso da viola caipira na música do Sul e por meio do acordeon repercutir traços da cultura das regiões fronteiriças do Brasil. O programa inclui Parceria nº 1, Corcoveado, Chacarera para desvendar caminhos, Temas do folclore gaúcho, Estações, Das bandas do poente, Cinco tentos Felicidade/Luar do sertão, La muerte del indio e Parceria nº 2.

 A Fundação Ecarta fica na Avenida João Pessoa, 943, Porto Alegre/RS, e disponibiliza para mais informações o  número de 51 4009-2970.

Galpão Nativo

941041_797481937064142_3783396670352451963_n

Elton Saldanha (de chapéu), Loma, os integrantes do grupo Chão de Areia, Valdir Verona e Rafael de Boni

Ao lado do grupo Chão de Areia (formado pelos músicos Mário Tressoldi, Chico Saga e Flávio Júnior, com participações da cantora Loma), o Duo de Viola e Acordeon gravou na sexta-feira, 15, passagem para o programa de Elton Saldanha Galpão Nativo, destaque da TVE gaúcha aos domingos e em horário alternativo aos sábados, sempre a partir das 8 horas. A gravação com ambos ainda aguarda encaixe na programação da emissora para ser levada ao ar.

Além da boa música gaúcha, Elton Saldanha promove entrevistas e abre espaço para  reportagens sobre manifestações artísticas do Sul do Brasil incluindo  literatura, costumes e lidas campeiras, procurando promover  um olhar reflexivo, diversificado e contemporâneo sobre a cultura gaúcha. Ele recebe no palco tanto novos talentos, quanto artistas consagrados e autores de trabalhos instrumentais. O objetivo é estabelecer pontes entre o urbano e o rural, o tradicional e o contemporâneo, o antigo e o atual, ressaltando os sotaques e os estilos das diferentes regiões do estado e gerando intercâmbios com a arte latino-americana.

Valdir Verona, conforme observa a jornalista Dóris Fialcoff, vem resgatando a viola na música do Sul em recitais, concertos, composições, gravações, edições de partituras, aulas e oficinas de música e como um dos baluartes do Dandô Circuito de Música Dércio Marques. Autor de sete álbuns, um DVD e três livros com discos encartados, além de diversas participações em gravações e produções de CDs e DVDs, tem entre os troféus que já arrebatou duas estatuetas do Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira. O talento de Valdir Verona é reconhecido e prestigiado também no exterior: o caxiense representou o Brasil na homenagem ao país durante o Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça em 2012, e a 25ª Feira Internacional do Livro de Bogotá, na Colômbia.

Rafael De Boni é natural de Vacaria, radicado em Caxias do Sul. Acompanhou de acordo com Doris Fialcoff vários conjuntos e artistas solos em concertos e festivais de música. A carreira solo já possui quatro álbuns e um DVD gravados, aos quais se somam acima de  300 participações em CDs dos mais diferentes estilos, fora jingles e campanhas publicitárias como acordeonista e contrabaixista. Rafael de Boni enriqueceu o currículo passando por diversos festivais, entre os quais o  8º Brasil Instrumental de Tatuí, em São Paulo, e o 1º Festival Voa Viola edição de Brasília, ambos com o Duo de Viola e Acordeon.

Show do Duo de Viola e Acordeon, com Rafael De Boni e Valdir Verona
23 de janeiro, sábado, às 19h
Fundação Ecarta: Avenida João Pessoa, 943, Porto Alegre
Informações: 51 4009.2970 e www.ecarta.org.br

11800199_10153415689722088_4094266585024229638_n


Deixe um comentário

701 -Embarque na Biblioteca Mário de Andrade (SP) e viaje com o Canto Livro para o mundo de Riobaldo e Diadorim

 

cntolivro

Foto de Guimarães Rosa no destaque: Acervo Fundo João Guimarães Rosa – IEB/USP

Em nova rodada do projeto Imagens do Brasil Profundo, o curador Jair Marcatti receberá nesta quarta-feira, 28, a partir das 20 horas, Jean e Joana Garfunkel. Pai e filha conduzirão a plateia por uma viagem pelo sertão de Guimarães Rosa a partir do palco do auditório da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. A ida pelo universo roseano se dará por meio dos atalhos da oralidade e da canção brasileira, conforme a proposta do grupo Canto Livro, protagonista do show O Sertão na Canção, baseado no romance Grande Sertão:Veredas, do escritor mineiro de Cordisburgo.

Idealizado pelos  Garfunkel, o Canto Livro propõe aproximar literatura e música para encurtar a distância entre o livro e o público, promovendo num contraponto dinâmico e divertido. Os convidados de Marcatti estarão acompanhados por Pratinha Saraiva (flautas e bandolim) e tocarão canções como Avenida São João, Cotumaz, Primeiro Encontro, São Gregório, Mar de Cavalos, Batalha Final, todas compostas por Jean (violão) em parceria com o irmão, Paul Garfunkel, com arranjos de Natan Marques e permeadas por narração de trechos da obra que apresenta Riobaldo e Diadorim.

O projeto Canto Livro existe desde 2006, quando Jean Garfunkel – poeta, escritor e compositor com obras gravadas por intérpretes como Elis Regina, Zizi Possi, Margareth Menezes e Maria Rita – foi convidado a cantar num projeto dedicado a Guimarães Rosa por conta de sua pesquisa e visitas à cidade Morro da Garça, próxima à terra natal do escritor. Joana também já nutria grande admiração pela obra do autor mineiro: em 2002, escrevera pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo a tese Sentido e Significado em Grande Sertão Veredas. Juntos, ambos teceram a ponte entre a saga do jagunço Riobaldo e canções compostas pelos irmãos, transportando a joia da nossa literatura para o palco. Hoje, o Canto Livro oferece cerca de 30 espetáculos que enfocam as obras de Manuel Bandeira, Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Cora Coralina, Vinícius de Moraes, Manoel de Barros, Fernando Pessoa e Mia Couto, entre outros.

Paralelamente ao trabalho com o Canto Livro, Jean Garfunkel tem quatro discos gravados em dupla com Paul, mais 13 Pares e Um Fado Solitário, no qual homenageia treze parceiros com os quais vem traçando sua trajetória musical.  É poeta, ator, cantor, compositor e publicitário e durante mais de dez anos trabalhou como assistente de direção da atriz e diretora Myriam Muniz, além de compor trilhas para teatro. Integrante o grupo de estudos sobre a obra de Guimarães Rosa do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (USP) e realiza oficinas e palestras sobre música e literatura em bibliotecas, livrarias e espaços culturais. Como letrista tem parceiros ilustres como, Léa Freire, Sizão Machado, Mozart Terra, maestro Moacyr Santos, maestro Júlio Medáglia e o violonista Yamandú Costa.

Joana Garfunkel é narradora de histórias e psicóloga, autora de uma pesquisa acadêmica premiada sobre a obra Grande Sertão: Veredas. Trabalha desde 2005 com música e literatura, apresentando-se ao lado de artistas como Tavinho Moura, Natan Marques, Grupo Miguilins e Emiliano Castro.

Mergulho no Brasil de dentro

Dedos de prosa, boa conversa, música, imagens, artesanato e cultura popular. Essa é a receita de Imagens do Brasil Profundo – Um Olhar sobre a Diversidade Brasileira, projeto que envolve shows, debates, bate papos musicais e ações para crianças iniciado em abril e que se estenderá até dezembro, acolhido pela Biblioteca Mário de Andrade,  que ocorre quinzenalmente, sempre às quartas-feiras, sob a batuta do historiador e sociólogo Jair Marcatti, professor de Relações Internacionais e de Sociologia.

A ideia é mostrar e discutir por meio de músicas, filmes, manifestações populares e objetos o Brasil por dentro, aquele país que nas palavras do mestre Ariano Suassuna, escondido em rincões considerados profundos, é muito vivo. Ao invés de promover abordagens tradicionais, entretanto, Marcatti prefere convidar músicos, documentaristas, diretores de cinema, ativistas culturais e pesquisadores da cultura popular que em comum nutrem um modo de olhar aprofundado e amplo sobre o Brasil e trabalhos de pesquisa e resgate das nossas mais entranhadas tradições.

Com cada um dos participantes, Marcatti aborda aspectos do universo cultural e musical  brasileiro, de nossas trajetórias, continuidades e rupturas; daquilo que, sem nenhuma pretensão definidora, poderíamos chamar de identidades brasileiras, no plural, com a vantagem dos exemplos serem pontuados no calor da prosa, ao vivo, pelo som dos instrumentos, muitos artesanais, e pela apresentação de outras formas de expressão cultural.

As rodadas do Brasil Profundo começam sempre às 20 horas e não há cobrança de ingressos. Marcatti já recebeu neste ano Renata Mattar, da Companhia Cabelos de Maria, Magda Pucci, do grupo musical  e de pesquisas étnicas Mawaca, Cláudio Lacerda, Katya Teixeira e Cássia Maria, Benjamin Taubkin, Luiz Salgado, Paulo Dias, Galileu Garcia Júnior, Ivan Vilela, José Miguel Wisnick e João Arruda. Até dezembro haverá ainda sessões com Sidnei de Oliveira, em 4 de novembro, Consuelo de Paula, Trio José, Antônio Nóbrega e Conversa Ribeira.

A Biblioteca Mário de Andrade fica na Rua da Consolação, 94, e para mais informações disponibiliza o número de telefone 3775-0002.

 


Deixe um comentário

690 – Um abraço dos mais fraternos para Valdir Verona (RS), aniversariante de hoje

vv

O abraço de hoje do Barulho d’água Música chegará a uma das regiões mais bonitas do Brasil, onde está encravada Caxias do Sul (RS), morada do violeiro Valdir Verona, músico com mais de 25 anos de estrada, participações em diversos álbuns e DVDs de música e poesia e que na noite de 14 de outubro, ao lado do parceiro Rafael De Boni, lançou o primeiro DVD do Duo de Viola, na Sala de Cinema do Centro Municipal de Cultura Doutor Henrique Ordovás Filho. O trabalho, gentilmente doado por Verona ao acervo do blogue, conta com a participação de Yamandu Costa.  

Continuar lendo


Deixe um comentário

Jean Garfunkel, cantor e poeta paulistano, celebra aniversário

jean garfunkel aniversário

A folhinha do Barulho d’água Música registra que hoje, 28, está comemorando aniversário o cantor, compositor e poeta paulistano Jean Garfunkel,  também ator e publicitário que forma célebre dupla com o irmão, Paulo Garfunkel. Neste ano, entre outros projetos Jean Garfunkel lançou em fevereiro o álbum 13 Pares e Um fado Solitário, novo disco da carreira que já soma trinta anos. Neste trabalho treze parceiros de estrada receberão homenagens, e ora como letrista, ora como melodista, ou ainda desempenhando ambas as funções, o autor mostra um repertório variado, concebido com o multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo, a flautista Léa Freire, o cantor Lula Barbosa, o guitarrista Natan Marques, o contrabaixista Sizão Machado, o compositor Théo de Barros e o maestro Júlio Medaglia.  

Continuar lendo


Deixe um comentário

Dia Nacional do Choro, em homenagem a Pixinguinha, completa 15 anos

A0715p09

Pixinguinha, compositor e arranjador, flautista e saxofonista, deixou obras primas do choro como Carinhoso, 1×0 e Lamento

 

Hoje, 23 de abril, comemora-se o 15º ano da introdução no Brasil do Dia Nacional do Choro, data escolhida em 2.000 por ser o dia de nascimento de Alfredo da Rocha Vianna Filho, que ficou conhecido por Pixinguinha (Rio de Janeiro, 1897, Rio de Janeiro, 1973), flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro, criador entre outros do célebre Carinhoso.

Continuar lendo